terça-feira, 29 de abril de 2008

Maturidade Espiritual

1. INTRODUÇÃO

a) talvez os irmãos argumentam o porque deste tema ser abordado apenas agora no ano de 1988. Estamos no momento psicológico adequado para tanto, pois a maioria de nós, graças a "Deus", acorda de um verdadeiro "sono espiritual" ou melhor de uma verdadeira "morte viva " estando muito próximo da fonte da vida, e compreendemos agora que sem o esforço individual não saímos deste estado de "sono" ou "morte viva".

b) nenhum momento é melhor do que este para se falar de maturidade espiritual. Este estudo nos ajudará a compreender aonde estamos "bem" e aonde precisamos atuar dentro de nós para atingirmos um estado mais próximo possível da maturidade e assim melhor servir a "Deus".

c) não lute contra os seus defeitos, não é preciso agir assim, não se culpe, não seja orgulhoso a ponto de se achar o último da fila, porque isto é artimanha de tua vaidade para chamar a atenção dos demais para uma falsa humildade. Aceite-se como é, e perceba que pode melhorar com o tempo, "não há nada que possa impedir isto". Faça de conta que tua mente é um rio que desfila a tua frente, "você consciência" esta sentado à margem e observa a correnteza, veja e encontre onde está a vaidade, o orgulho e os demais problemas interiores que te causam conflito ou infelicidade, compreenda-os pois são seus filhos. Passe a se policiar para que você possa enfraquece-los com o tempo e tornar este rio que você poluiu durante a senda da evolução, em um rio limpo e cristalino. Não esqueça, você não é o "Rio-Mente", você é a consciência eterna, não se envolva nas águas para que você não seja arrastado no torvelinho da correnteza.
Isto sendo conseguido, compreenda que suas provações oriundas de existências anteriores, não irão se alterar imediato, não adianta se preocupar com isto, procure aceitar o que, para nós, é impossível mudar, com calma e resignação, para que em próxima existência colha os frutos de teu esforço para o crescimento interior. Tristeza, perturbações, doenças, perdas de entes queridos, medo, aborrecimento com coisas pequenas. Tudo isto consome maior parte de nosso tempo. Não perturbe sua saúde mental, não perca a calma.

d) se tens que chamar a atenção de teu irmão invigilante, faça-o sem descarregar sobre ele os dardos de tuas energias escuras e agressivas em nome de Jesus, faça-o sim, mas envolto no pacote de seu carinho fraterno por Amor a Jesus e a teu irmão. Exteriormente pode até parecer a mesma coisa, mas é imensamente diferente e os resultados de tua ação muito diversos.

e) sejamos fieis ao que sabemos e procuremos errar menos. Coragem, perseverança e firmeza inquebrantáveis sejam nossos companheiros de viagem. Esta em tuas mãos tua felicidade ou tua desgraça.


2) MATURIDADE ESPIRITUAL

a) definição:- Estado evolutivo em que o princípio inteligente adquiri a madureza a caminho do plano de desenvolvimento maior.

b) quadros comparativos

I - Imaturidade
M- Maturidade
estas letras I e M indicarão nos quadros a seguir as características do imaturo ou do maturo respectivamente. Esperamos que isto possa ajudar-nos, a nos conhecermos melhor e termos de uma forma organizada, informações sobre o assunto:-

I- Paroquialismo
M- Universalismo

I- Aceita verdades com absolutas
M- Aceita verdades como relativas

I- Varejista
M- Atacadista

I- Preocupado só com seu Ego ou grupo cármico
M- Preocupado com Policarma

I- Robotismo materialista
M- Autoconsciência

I- Sonambulico
M- Auto-crítico

I- Absolutista
M- Menores Males

I- Ambigüidade
M- Não ambíguo

I- Avestrusismo
M- Franqueza

I- Emoção
M- Sentimentos

I- Desorganização
M- Priorização

I- Consolação
M- Esclarecimento

I- Tolerância
M- Compreensão

I- Deixar rabo
M- Levar tudo junto

I- Menor livre arbítrio
M- Maior livre arbítrio

I- Moral humana
M- Moral cósmica

I- Dependência Doentia
M- Interdependência

I- É movido por críticas ou elogios
M- Tem objetivos definidos

I- Esta sempre agindo em função de ser o centro das atenções
M- Faz a sua tarefa com amor e humildade

I- Busca desenfreadamente prazeres terrenos
M- É moderado, sabe quais os momentos apropriados

I- Geronfobia - "TEME" as características da velhice tentando manter um "Status" na aparências humana a qualquer preço, não compreendendo a natureza em seu curso normal, ficando assim, preso a infância espiritual
M- Aceita as contingências da vida humana e cultua o embelezamento do Espírito em primeiro plano, cuidando do corpo e de sua aparência com moderação

I- Fraqueza de vontade, desiste com facilidade de todo empreitada
M- Tem força de vontade

I- Se entusiasma com tudo que vê e ouve
M- Pondera e reflete

I- Não tem noção de como se comportar em diferentes ambientes e ocasiões onde se encontra. É, então, "Desarmonizador"
M- Harmonizador

I- Acha que sabe muito ou suficiente, não precisando mais estudar, perdendo desta forma chances enormes de progresso e ainda ativando o orgulho e a vaidade. É o Pseudo-Sábio.
M- Percebe que por mais que aprenda ainda é, e esta longe de ser muito, pois o que não se usa nesta existência será usado em outras.

I- Não dá atenção as pessoas que julga sem aparente sabedoria
M- Reconhece que da boca dos humildes, Deus também se pronuncia

I- Não sabe ouvir, não deixa que os outros falem, e quando deixa não presta atenção está preparando sua próxima fala
M- Ouve e pondera, espera sua vez

I- As coisas particulares e de seu grupo são as melhores
M- Reconhece a justiça Divina que nos mostra que temos o que é melhor para nós.

I- Tira conclusões absolutas do apenas ouvi dizer que ... ou então fulano falou para ...
M- Espera o momento de esclarecer melhor.

I- Diz freqüentemente: Fulano é que tudo sabe...
M- Aprende sem fazer ÍDOLOS, compreendendo que só "DEUS" é mestre

I- Cobra santidade ou repara muito se os outros praticam o que pregam e freqüentemente esquece dele mesmo
M- Aproveita o que lhe interessa sempre agradecendo, sem lhe interessar a fonte, porque sabe que só um devemos adorar, "Deus nosso Pai".

I- Recusa e critica um todo, apenas por uma vírgula
M- Aproveita o melhor

I- Agressivo ou Intempestivo ou Inconstante
M- Sereno
Mesmo que alguns itens sejam consequências de outros, foram ressaltados no quadro para melhor compreensão. Este quadro está longe de ser completo no que se refere a este assunto, mas nós esperamos que seja útil aos fins propostos.

3) CONCLUSÃO

AS CONDIÇÕES DE MATURIDADE PODEM SER RESUMIDAS EM DEZ SINAIS INCONFUNDÍVEIS:

a) AUTO-CONVIVÊNCIA- a consciência se sente feliz de conviver consigo mesma, como personalidade, dispensando a necessidade de autocrítica maiores e rígidas.

b) AUTO-DETERMINAÇÃO- o ser encarnado corta a dependência dos outros, às coisas, e a todas as muletas psicofísicas, embora tendo a noção exata da interdependência entre todos os seres.

c) AUTOCONFIANÇA- a consciência adquire autoconfiança, aniquilando a paranóia do acanhamento no rumo da segurança e da franqueza.

d) AUTO-DESENVOLVIMENTO- a pessoa não fica sonhando um auxílio sonhado de outros seres, do destino, ou das circunstâncias, mas busca realizar o melhor, sózinha, desenvolvendo os próprios potenciais com discernimento quanto as prioridades e atuando com crescente capacidade decisória.

e) AUTO-LIBERTAÇÃO- o indivíduo dispensa o culto às personalidades em geral e se liberta da totipotência da opinião pública.

f) AUTO-REALIZAÇÃO- a consciência assume uma posição centrada em fundamentos sólidos que procura a auto-realização, o que enriquece a sua existência humana com produtividade crescente.

g) AUTO-DISCIPLINA- a pessoa matem-se equilibrada, torna-se disciplinada, participativa, cooptante e autêntica em todas as manifestações através da auto vigilância.

h) AUTO-SUFICIÊNCIA- a criatura não pede mais para sí em suas intercessões e rogativas,mas tão sómente para os outros.

i) AUTO-EXAME- o ego não alimenta mágoas em seu mundo íntimo, nem espera gratidão, reconhecimento ou entendimento perfeito dos outros, quanto ao que faz, por isso não se decepciona na condição de membro consciente da minoria, sem complexos nem recalques, na busca da pura fraternidade.

j) AUTO-CONSCIENTIZAÇÃO- a consciência encarnada ou desencarnada atinge a plena auto-conscientização do corpo mental e do plano mental e procura viver, onde estiver, de acordo predominantemente com a serenidade, o equilíbrio e o discernimento da consciência quando isolada no corpo mental, executando a racionalização das emoções ou colocando em plano secundário as manifestações efêmeras do emocionalismo animal, natural e psicossoma ou corpo astral, pouco a pouco desgastando e atrofiando este veículo até o ponto de fazê-lo desaparecer, quando não mais terá razão de ser, ocasião em que alcança o estado de espírito puro.


4) QUANTO A MATURIDADE NA MEDIUNIDADE

a) tabus a serem derrubados:

a1) os amigos espirituais não são Deuses (ainda) e cometem enganos de acordo com a evolução que tenham.

a2) os espíritos comunicantes na maioria dos casos pertencem a planos espirituais próximos a nossa esfera ação.

a3) as comunicações sofrem influência do médium (mais ou menos) e do próprio ambiente. É da responsabilidade do médium, portanto, se instruir para melhor canalizar as comunicações e higienizar o ambiente com pensamentos elevados.

b) comunicação do Espírito da Verdade.
Todos os médiuns são, incontestavelmente, chamados a servir a causa do Espiritismo, na medida de suas faculdades, mas bem poucos há que não se deixem prender nas armadilhas do amor próprio. É uma pedra de toque, que raramente deixa de produzir efeito. Assim é que, sobre cem médiuns, um, se tanto, encontrareis que, por muito íntimo que seja, não se tenha julgado, nos primeiros tempos de sua mediunidade, fadado a obter coisas superiores e predestinado a grande missões. Os que sucumbem a essa vaidosa esperança, grande é o número deles, se tornam inevitavelmente presas de Espíritos obsessores, que não tardam a subjuga-los, lisonjeando-lhes o orgulho e apanhando-os pelo seu fraco. Quanto mais pretenderem eles elevar-se, tanto mais ridícula lhes será a queda, quando não desastrosa.
As grandes missões só aos homens de escol são confiadas e Deus mesmo os coloca, sem que eles o procurem, no meio e na posição em que possam prestar concurso eficaz. Nunca será demais que eu recomende aos médiuns inexperientes que desconfiem do que lhes podem certos espíritos dizer, com relação ao suposto papel que eles são chamados a desempenhar, porquanto, se o tomarem a sério, só desapontamentos colherão nesse mundo, e , no outro, severo castigo.
Persuadam-se bem de que, na esfera modesta e obscura onde se acham colocados, podem prestar grandes serviços a conversão dos incrédulos, prodigalizando consolação aos aflitos. Se daí deverem sair, serão conduzidos por mão invisível, que lhes preparará os caminhos, e serão postos em evidência, por assim dizer, a seu mau grado.
Lembrem-se sempre destas palavras: "Aquele que se exaltar será humilhado e o que se humilhar será exaltado".

O Espírito da Verdade

5) MENSAGEM SOBRE DONS ESPIRITUAIS

FACULDADES MEDIÚNICAS
reunião pública de 1.7.60
questão nº 159.


"Há diversidade de dons espirituais, mas a Espiritualidade é a mesma.
Há diversidade de ministérios, mas é o mesmo Senhor que a todos administra.
Há diversidade de operações para o bem; todavia, é a mesma Lei de Deus que tudo opera em todos.
A manifestação espiritual, porém, é distribuída a cada um para o que for útil.
Assim é que a um, pelo espírito, é dada a palavra da sabedoria divina e, a outro, pelo mesmo espírito, a palavra da ciência humana.
A outro é confiado o serviço da fé e a outro o dom de curar.
A outro é concedida a produção de fenómenos, a outro a profecia, a outro a faculdade de discernir os Espíritos, a outro a variedade das línguas e ainda a outro a interpretação dessas mesmas línguas.
No entanto, o mesmo poder espiritual realiza todas essas coisas, repartindo os seus recursos particularmente a cada um, como julgue necessário".

Quem analise despreocupadamente o texto acima, decerto julgará estar lendo moderno autor espírita, definindo o problema da mediunidade; contudo, as afirmações que transcrevemos saíram do punho do apóstolo Paulo, há dezenove séculos, e constam no capítulo doze de sua primeira carta aos coríntios.
Como é fácil de ver, a consonância entre a Espiritismo e o Cristianismo ressalta, perfeita, em cada estudo correto que se efetue, compreendendo-se na mensagem de Allan Kardec a chave de elucidações mais amplas dos ensinos de Jesus e de seus continuadores.
Cada médium é mobilizado na obra do bem, conforme as possibilidades de que dispõe.
Essa orienta, outro esclarece; esse fala, outro escreve; esse ora, outro alivia.
Em mediunidade, portanto, não te dês à preocupação de admirar ou provocar admiração.
Procuremos, acima de tudo, em favor de nós mesmos, o privilégio e o lugar de servir.

6) BIBLIOGRAFIA

a) item 1 : Krishnamurti, J. - Aos pés do Mestre - pg. 27 - Domínio da Mente
Allan Kardec - O que é o espiritismo - Introdução
b) item 3 : Vieira, Waldo - Projeciologia - Capítulo 5 - Abordagens Fisiológicas, item Maturidade Extrafísica
c) item 4/5:Allan Kardec - O livro dos Médiuns - Capítulo 21 - item 15
Xavier, F.C. - Seara dos médiuns - Faculdades Medíunicas -pg.145

Palestra de Marcio Pellegrini 1988


2 comentários:

antonio roberto malfatti disse...

Muito boa essa sua postagem. Espero que mais pessoas leiam.

Guilherme disse...

Obrigado Antonio Roberto pelo comentário!Também espero que muitas pessoas possam ler e compreender as mensagens de paz e de espiritualidade!!!
abraços

Somos Todos Um