quarta-feira, 14 de maio de 2008

Números Cármicos e Números Mágicos

A numerologia nos concede a oportunidade de revermos nosso karma de uma forma apresentada em alguns números associados as diversas energias e que são considerados cármicas.

Podem ocorrer geralmente na energia da Alma, Destino e Caminho de origem ou número poderoso.
Quando aparece na Missão Escolhida por nós (destino) podemos atenuar a missão compensando em alguns aspectos tipo mudança de assinatura e forma de ser chamado.
Algumas pessoas mudam o nome, mas nem sempre isso é um bom resultado.
Quando o número cármico aparece na Lição de Vida, Caminho de Vida, fica mais complicado compensarmos as deficiências cármicas provocadas aqui.
Pois podemos mudar o nome (que é a missão escolhida por nós), mas, não podemos modificar a missão imposta por Deus (que é a data de nosso nascimento).
Isso não significa que você não vá resolver o problema, mas isso o acompanhará em todos os momentos de sua vida, como uma lembrança de refazer a lição corretamente.




QUAIS SÃO OS NÚMEROS CÁRMICOS

Os números cármicos são 13, 14, 16 e 19..



NÚMERO 13, CÁRMICO OU MALÉFICO.

O Tarô tem sua carta-arcano treze com o titulo “Morte”, ou “O Ceifeiro”. É simbolizada pelo esqueleto, figura aceita para a morte, tomada figurativamente. Sentimos medo principalmente por temer o desconhecido, o que fica para além do túmulo. A verdadeira interpretação é que a morte não significa o fim da vida, mas constitui uma mudança, movimento ou transformação. A mudança é o que chamamos morte. Em outras palavras, a morte é renascimento, renovação e um início inspirador. A carta treze, ou numero cármico, significa que a morte é apenas uma mudança de conscientização.
Através da supertição o número treze veio a ter má fama. Realmente, ele é um período de regeneração. A palavra-chave é trabalho no plano material. O aviso dado é o de que existe perigo de resvalarmos para a preguiça, a negatividade e a ineficiência. Experiências e testes de proficiência serão dados no plano material e o trabalho é a solução. Ele adverte contra a indiferença, o descontentamento e as más atitudes.



NÚMERO 14, CÁRMICO OU MALÉFICO.

O arcano quatorze representa as posses físicas. Adverte quanto à perda de propriedades e fracasso nos negócios. É duro para um quatorze aprender a sua lição, pois amiúde tenta ganhar liberdade de maneira destrutiva ou a expensas de outros. Isso traz perdas, doenças e morte. A pessoa esta interessada demais nos sentidos físicos. Quatorze é também chamado o número da experiência.
Se quatorze for encontrado como total das vogais, então haverá muitos adiantamentos e perturbações emocionais.
Se quatorze ocorrer como tal do número do destino, muitos desapontamentos e perdas terão de ser enfrentados.
Se quatorze for o total do número do caminho de origem, a pessoa deve aprender a lição do desapego. Isso quer dizer que deve deixar que as coisas se vão.
A mensagem básica do número avisador quatorze é a falta de compreensão. Muitas vezes não compreendemos os motivos dos outros, nem mesmo os nossos, pois agimos de uma forma e pensamos e sentimos de outra. Através de compreensão desenvolvemos humildade, compaixão e amor transbordante. Devemos evitar chegar aos extremos. Temos de ser temperados.



NÚMERO 16, CÁRMICO OU MALÉFICO.

A carta dezesseis do tarô, denominada “A Torre”, descreve ruína. A torre que tomba indica a derrocada do orgulho e da vaidade humana. A estrutura foi construída pela ignorância e pelo erro nas ações, através de vontade própria e vida autocentralizada. Só quando compreendemos a verdadeira natureza da força de vontade, destruiremos idéias falsas e aprenderemos o que é certo.
O número dezesseis adverte sobre alguma calamidade estranha, fracasso de planos, acidentes, decepções e adversidade. Indica o carma de antigos amores ilegítimos. O número dezesseis oferece o teste do otimismo e da fé.
Se o número dezesseis for encontrado como total da exigência da alma, mostra amigos falsos e sonhos destruídos. Se aparece como número de destino, avisa sobre a perda do nome, da posição, da fortuna e do poder. Se for o número total do caminho de origem, então todas as tragédias podem ser conhecidas, amor pode perdê-lo, subitamente pode tombar. Não devemos nos apegar as coisas materiais.



NÚMERO 19, CARMICO OU MALÉFICO.

A carta número dezenove do tarô simboliza o “Sol”, ou “Reunião”. Não é inanimada, mas uma força viva.
Dezenove é o equilibrador, ou coletor. Pede “olho por olho”. Retiramos da vida exatamente o que nela colocamos.
O número dezenove avisa-nos para que não sejamos dominadores, mas exerçamos a tolerância. Outrora tomamos algo e agora devemos pagar o que tomamos. É o teste da resistência.
Se o total da nossa existência da alma for dezenove, teremos de enfrentar segredos da vida que podem estar escondidos e agora serão arrastados para fora.
Se o dezenove ocorrer como número do nosso destino, podemos perceber, ao fim de nossa vida, que tudo podemos.
Se o dezenove for o número total de nosso caminho de origem, teremos de enfrentar nossas falhas, agora, pagar nossas contas.
Se dezenove ocorrer tanto como número do nosso coração, como do destino, significa que trouxemos esse carma de uma existência anterior. É uma fraqueza do caráter que deve ser dominada através de uma vida dos algarismos do número teste.




O QUE DEVEMOS FAZER COM OS NOSSOS
NÚMEROS CÁRMICOS


Se tivermos um ou mais desses números cármicos maléficos nos lugares mencionados, então vamos ver o que devemos fazer para pagamento de nossa dívida cármica. Se não temos qualquer desses números, então temos as nossas contas equilibradas e estamos livres, sem qualquer obrigação cármica que faça barreira ao nosso progresso.


Números Mágicos

Segundo o mestre Pitagóras o universo é composto por números.
O número é a essência do universo creado.

É a base da natureza divina manifesta no mundo real.

Ele considerava todos os números importantes, pois além deles serem base da aritmética, composto era possível explicar as manifestações do universo e do divino.

Para Pitágoras todos os números eram importantes, tanto individualmente, como suas composições e seus agrupamentos.

Para ele Pitágoras, destacava-se nesta importância o número 10 (dez), por ser um número conclusivo e a primeira manifestação de deus, e o número 28 (vinte e oito), por ser um número perfeito, e a possibilidade de nosso contato com o universo e com deus.


O número 10(dez) – conclusivo
São o resultado da soma dos números dos quatro primeiros ( 1+ 2+ 3+ 4 =10) significava tanto um número concluído como o início de uma nova ordem transcedente ao plano da unidade.

Era a primeira vez que a Mônada primordial, representada pelo número 1(um) era manifesta.

Os quatro primeiros números, agrupados em forma de triângulo, originam a tetrakys, ou tétrade sagrada, usada por Pitágoras também como amuleto, visto que representava potencialmente a energia do universo derivando-se da Mônada.

1 *
2 * *
3 * * *
4 * * * *


Para entender melhor, esses quatro primeiros números, descrevemos os mesmos individualmente.
O número 1 (um) – unidade.
Fonte de todas as coisas ao qual Pitagóras chamou de Mônada primordial.
Representado pelo ponto.

O número 2 (dois) – dualidade.
É o número do princípio da dualidade.
Designava esta idéia apontando para sí próprio (mim) e depois para a companheira (mim e você).
É a bipolaridade.
Representado por duas linhas paralelas.

Número 3 (três) – trindade.
Seria o número das manifestações viventes.
O resultado da procriação do homem e sua companheira foram o rebento, o filho.
Três é a expressão de um e dois, e significa a complementação.
Representado por um triângulo, formando o primeiro plano fechado.

Número 4 (quatro) – fundação
Simboliza o alicerce, pois o homem compreendeu que tinha uma mulher e um filho, ou seja, uma família e tornou-se imperativo conquistar abrigo e proteção para eles.
Representado pelo quadrado.
O quatro é o primeiro número material.
Ela também significa a vida ou a idéia do plano universal.


O número 28 (vinte e oito) – manifestação da fonte.
É o primeiro número duplo, perfeito, pois ele dividido pelos números inteiros 2, 4, 7, 14 e 28 a soma dos resultados é igual a 28 (vinte e oito).

É a primeira manifestação de deus e o universo com o indivíduo.

Por sua vez, a soma dos algarismos 2 e 8 seu resultado é o número 10 (dez), que é a Mônada primordial.

Com o número vinte e oito você tem o contato com esta Mônada primordial, você pode conhecer deus e o universo, você pode entrar nas origens da divindade e senti-la através do amor universal incondicional.

Individualmente os números 2(dois) que é o seu masculino e feminino, a sua bipolaridade junto com o 8(oito) que é a expansão do mundo material. É o construtor e co-criador junto com deus. É o desenvolvimento da sua natureza espiritual.

Quando no nome aparece o número vinte e oito, (soma das vogais e consoantes) você é um ente privilegiado e sábio, pois conhece os desígnios do universo.

No estudo do mapa numerológico quando aparece em certos cálculos o número, ele pode manifestar tendências de difundir os conhecimentos do universo a da integridade da grande família universal.

Em muitos casos o indivíduo com este número sabe ou lhe é revelado os segredos que levam a Deus inconscientemente.

Na escola de Pitágoras os graus de iniciação que eram quatro, somente no terceiro e quarto grau, considerado, como perfeição e Epifânia, eram revelados estes segredos dos números.

Como disse um sábio, você é o que você ama, e Pitágoras amava os números.


Vicente Chagas


Um comentário:

tetrakys disse...

http://www.youtube.com/user/kakekry

http://www.youtube.com/v/R0NseD3MWyQ