segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A Trajetória de Um Ser, 2010 - Quando Você Vê O Futuro, Você O Transforma e Os Materiais dos Shaumbra

Amados, eu sou METATRON e trago minha luz a todos vocês.


O assunto que compartilharei com vocês hoje é sobre a “Trajetória de um Ser”.

Todos vocês tem sua trajetória, tem sua caminhada na busca de sua evolução espiritual.

A Terra é uma grande escola com grandes oportunidades de crescimento espiritual e aprendizado.

Vocês vieram sozinhos e também retornarão para seu lar verdadeiro sozinhos.

Cada um de vocês traz consigo o que irá passar, a família que irão nascer.

Dentro de vocês foram colocados os registros, as informações que um dia precisarão usar.

Tudo é feito para que o aprendizado de vocês seja coroado de êxito.

Então vocês descem a Terra na família que desejaram, para que possa iniciar seu “aprendizado”.

Começa então, a jornada de vocês.

Durante muito tempo vocês passam pelas situações sem as perceber. Pessoas e situações surgem na vida de cada um de vocês e muitas vezes, vocês não entendem o por que.

Para aqueles que já trazem consigo em seus registros um despertar espiritual, os encontros, as situações mostram alguma coisa, algum ensinamento.

Para aqueles que ainda não tem em seus registros informações espiritual, digamos assim, o despertar demora um pouco mais.

Mas acreditem, todos em algum momento despertarão para a grande oportunidade que estão recebendo.

Tudo tem um propósito, mas são vocês que através de seu livre-arbítrio, faz de seu propósito algo bom ou não.

A maioria de vocês não entende as situações que estão passando e se revoltam, se culpam e se colocam num papel de “vitima”.

Meus Amados entendam que as situações surgem para ajudá-los. Não as vejam como problemas, mas como algo a aprender.

Não diga “não mereço isso”, mas diga “O que tenho que aprender com essa situação”?. Ao dizer: o que tenho que aprender com essa situação sua mente se abre e você permite que chegue a você toda clareza e ajuda que necessitar.

Ao abrir suas mentes e seus corações uma grande Luz Divina os envolve e traz a vocês a ajuda que necessitam.

Muito tempo se perde julgando e criticando situações e pessoas.

Aceite sua existência, agradeça a DEUS pela oportunidade de crescimento. Conecte a DEUS, sinta seu imenso amor por todos vocês.

Olhem o mundo com olhos de amor.

Veja a beleza do céu, das flores, das coisas ao seu redor.
Veja nas pessoas aquilo que ela tem de melhor, pois todos estão preenchidos de virtudes divinas.

Se você focar nas coisas boas é isso que aumentará.
Se você focar nas coisas negativas é isso que aumentará.

Deseje um mundo melhor. Deseje que as pessoas sejam melhores, mais felizes.

A sua trajetória depende de você. Dê o primeiro passo em direção a um mundo melhor.

Não pense que as pessoas não irão mudar. Às vezes elas só estão esperando o seu primeiro passo, o seu exemplo, a sua ajuda, a sua coragem.

Ninguém é totalmente mal, nem totalmente insensível. Todos são filhos de DEUS e, portanto, estão preenchidos com suas qualidades divinas.

Se você já encontrou suas qualidades, deixe que elas aumentem doando o seu melhor.

Um dia você verá que contribuiu para a felicidade de alguém.

Quando você doa, você é o primeiro a receber.

Quando você doa, você recebe bênçãos de DEUS e daquele que você ajudou.

A trajetória de um ser pode ser construída de felicidade, amor, esperança, fé, aprendizado e de muita luz.

A sua trajetória é feita pelo que você é em essência, não pelo que você tem.

Reflita sobre isso, você pode mudar sempre. Mas lembre-se: é você que faz sua trajetória, não delegue a ninguém a sua felicidade, a sua vida.

As pessoas que estão ao seu lado poderão acrescentar felicidade e luz a sua vida, mas antes você precisa doar felicidade e luz.

Desejo que todos vocês façam sua trajetória com felicidade, equilíbrio, paz e muita luz.

Deixo a todos a minha luz.

Eu sou METATRON, o Senhor da Luz.

Mensagem de Metatron Canalizada por de Sandra M. Luz
02 de fevereiro de 2010


2010
QUANDO VOCÊ VÊ O FUTURO, VOCÊ O TRANSFORMA

As explicações numéricas da poderosa energia do ano 2010 são exatas e se auto-realizam. Elas atualizam a necessidade de se buscar e alcançar algo muito maior do que se pode imaginar. Elas pedem que olhemos para um futuro que só pode ser visto através de um buraquinho no tempo e no espaço, entretecido com possibilidades. O triângulo sagrado se apóia sobre suas próprias 3 pernas, enquanto a humanidade recebe seu capeamento pessoal, abrindo o portão para o homem usar o sagrado nome de Deus, que é o som de seu próprio nome de nascimento.

2010 é um ponto de conversão. Ele pede que façamos o grande trabalho que nascemos para realizar. Ele pede que demos o passo para a maestria que vive dentro de nossa intenção. Será um ano de júbilo, em que os pecados genéticos e as dívidas serão perdoadas, refletindo o que já aconteceu uma vez em tempos bíblicos. Tudo o que anda sobre a esfera verde e azul perceberá que tem escolha entre ser vítima ou vitorioso.

Conforme as três partes encontram o todo, o foco é liberado da obrigação tediosa de estar espalhado, permitindo que cresçamos além do julgamento que nos sobrecarregou por tempo longo demais. Saber o que fazer e o que não fazer nos permite ir além dos perímetros dos tempos passados. Todas as bênçãos que haviam sido acumuladas podem agora ser gastas a sério. O efeito sera prismático, enquanto a humanidade se sintoniza com um conhecimento que substitui o “pequeno eu” por um “Nós Galáctico”. Conforme a luz e a escuridão assumem residência plena na Terra, o equilíbrio é buscado enquanto aquilo que é de origem angélica motiva a audiência a escolher equipes. Os domínios dos anjos defendem seu território enquanto a luta é levada para dentro da carne. Assim como a imagem de um antigo desenho, com um anjo de um lado e um diabo do outro, a humanidade é solicitada a escolher continuamente a luz ou a escuridão, impregnando o domínio angélico proporcionalmente.

Num mundo que, aparentemente, perdeu a coragem e a virtude, traços de coragem e inteligência ainda afetarão a frequência de quantum criador de um planeta que parece estar de ponta cabeça. Em meio a transformações e mudanças, fazer escolhas melhores continuará a influenciar o resultado de um mundo que parece estar em terríveis dificuldades. Num universo múltiplo, todo feito de cópias do original, nós nos beneficiaremos das boas escolhas feitas. O que você faz para melhorar aumenta diretamente o bem, proporcionalmente, através de todo espaço e tempo. Esta é, em si mesma, uma poderosa declaração de Luz. A História, desde tempos imemoriais, está constantemente se ramificando em diferentes futuros. Todo evento aparentemente aleatório ocorre de todos os modos possíveis, em todos os mundos possíveis. Há um número infinito de universos, um para cada possibilidade.

2010 é um ano de chama trina, uma Trindade Sagrada, uma flor-de-lys, a flor de luz que simboliza Maria e o sangue de Cristo. Três partes finalmente encontram o todo. Na Idade Média, o símbolo da flor-de-lys foi encontrado em retratos de Jesus, depois, gradualmente, tornou-se o símbolo da vibração Mariana de “virtude e espiritualidade femininas”. A origem deste símbolo sagrado pode ser encontrada na linhagem de uma família sagrada, símbolo do sangue de Cristo que corria nas veias dos Reis Merovíngeos.

Em 2010, instrumentos de poder buscarão seus verdadeiros donos. Um despertar entre o que tem sido mantido secreto e sagrado chega a um lugar de onde não há volta, convidando os que ouvirem a atravessarem uma porta que antigamente era aberta apenas para o mais alto. Objetos de importância e desejo históricos libertaram-se de diversos modos e entraram num lugar onde podem ser vistos à luz do dia. Não habitarão mais atrás de portas trancadas e cavernas subterrâneas poeirentas, escondidos nas catacumbas desde tempos imemoriais. Tudo que tem sido mantido sagrado por milênios pode ser usado para a luz ou a escuridão. A mão que maneja o objeto de poder sempre tem interesses próprios. Cápsulas de “pseudo-tempo” de códigos sagrados seguem aqueles que pensam ter o domínio e a propriedade apenas até o ponto sem volta, enquanto cláusulas de predestinação emitem uma nova linha de tempo sobre a mesma velha canção e dança.

2010 pede que as pessoas se disponham a recolher o espelho quebrado e, assim como Alice, passem por todas as facetas e fraturas do “eu”. Os Maias foram os primeiros a usar espelhos como portais de transporte para lugares que não podiam ser vistos a olho nu. O lugar dos Espelhos vem para refletir o que precisa ser visto, enquanto as linhas de tempo de multi-versos são cruzadas. Os Maias usavam espelhos circulares feitos de pirita em seu peito e testa como uma forma de adivinhação, enxergando dentro de outros mundos. Conforme vocês se aproximam de 2012, os antigos oferecem portais para que passem a ver abertamente o que estava escondido.

Em 2012, o universo entrará coletivamente no Espelho Solar, uma passagem através do tempo para um lugar que aguarda sua chegada. Todas as coisas entre agora e esse momento são apenas prática. No lugar dos Espelhos, não existe bom nem mau, nem certo ou errado – apenas reflexo. Dentro do reflexo, mora uma espada de Luz, lancetando o que causou envenenamento, permitindo que a cura aconteça, libertando a ilusão de causa e efeito. Tudo o que se apresentou através do tempo será visto nu e exposto na cegante luz solar, criando assim novas linhas de tempo, que encaminharão a Terra para um lugar onde ela nunca esteve antes. A encruzilhada na estrada leva a humanidade numa nova direção, a um lugar onde a bússola não funciona mais e o holograma muda para satisfazer a necessidade de cada um. Você muda o tempo, ou o tempo é que muda você? A resposta a esta pergunta ainda está para ser vista.

Enxergar o futuro não é para os de coração ou joelhos fracos. Quando se atravessam as portas do tempo, muitas portas-armadilha se revelam. Mini buracos negros para outros universos e lugares de intersecções de tempo paralelo podem levar a pessoa para frente e para trás, criando um efeito de tontura. Portas do tempo abrem e fecham mais rápido do que um piscar de olhos. Verdade e tempo são individuais e não apresentam uma única visão ou resultado. Todos os antigos textos sobre tempos idos e tempos que virão são lidos de uma perspectiva pessoal e digeridos como a refeição favorita de cada um. Cada pedacinho é visto e sentido individualmente, criando assim uma multidão de interpretações e resultados.

Portais artificialmente criados rasgarão os campos morfogenéticos da terra. Conforme se tornam mais e mais exaltados, eles distorcerão tempo, energia e pensamento. Os mundos intermediários começarão a vazar e manchar uns aos outros. Nem todos os portais levam aos Campos Elíseos, como a querida Alice descobriu no espelho. Horizontes de eventos guiados por buracos negros na consciência levam a pessoa pelo mesmo caminho que Alice trilhou. Matéria é espremida para formar uma Singularidade.

Quando o planeta Terra simultaneamente entra e sai do tempo, a membrana celular do homem muda, conforme o fluxo gravitacional desfaz sua união com a célula Terra. Locais de encruzilhada chegam para confundir os cinco sentidos e outros mais. Linhas elétricas e magnéticas de todos os tipos se desfazem na proteção natural do homem e dos animais, deixando todos vulneráveis e frágeis. Estar pleno de luz e com o coração amoroso não será suficiente para manter os lobos distantes.

Um buraco branco é um buraco negro de antimatéria. Inteligências mais altas usam buracos brancos como interruptores de poder. Eles guardam o código para transmutação das espécies e podem reconstruir célula por célula com um espectro mais alto de luz. Buracos negros são conhecidos por terem uma natureza de tudo ou nada; eles não oferecem trégua nem a possibilidade de ficar no meio. São abismos muito profundos de consciência, lugares onde se entra e se é transformado para sempre. Buracos negros exigem que você se desapegue. O buraco negro no centro da Via Láctea representa um portal para um Universo mais alto, que possui uma realidade completamente diferente. Buracos negros são pontos de singularidade; são pontos de penetração para dentro e para fora deste Universo.

A única escolha é ir sem pensamento de perda. Saltar sem medo para dentro do abismo de 2010, sabendo que, em toda escuridão, a luz é mantida cativa. Não há crescimento em lugar seguro. A humanidade está vivenciando agora o Horizonte do Evento de suas vidas, uma experiência de tudo ou nada. Enquanto permanecem á margem de quem vocês se acostumaram a acreditar que são, vocês congelam e se tornam confusos em pensamentos e ações. Novas codificações são disparadas para o cérebro, simplesmente pelo pensamento desta verdade. Aceitem a energia e a Luz que há em vocês e busquem o Horizonte do Evento. Há um começo e um fim para todas as coisas. Lembrem-se da Promessa do Criador, de que há sempre um recomeço no fim de cada Ciclo de Tempo.

Mensagem de Gillian MacBeth-Louthan
4ª feira, 13 de janeiro de 2010


OS MATERIAIS DOS SHAUMBRA

Eu sou o que sou, Adamus of Sovereign Domain. Bem-vindos à Nova Energia, não apenas a um novo ano, mas a uma Nova Energia. Vamos falar bastante sobre ela hoje.

Que prazer é estar aqui, levar um choque por um instante ao vê-los dessa maneira, mas vamos respirar fundo juntos enquanto prosseguimos com nosso trabalho.

Ah, sim, disseram que eu estava pronto pra vir antes e que prejudiquei a apresentação desses slides. Na verdade, eu estava esperando pacientemente. Ah, Cauldre e todos vocês sentiram que eu estava pronto pra vir, mas, na verdade, nós – nós do Conselho Carmesim – fizemos um trabalhinho de preparação hoje, ajudando a equilibrar e ajustar as energias, ajudando a mantê-los no corpo. Muitos de vocês vieram pra cá hoje um pouco flutuantes, um pouco distantes.

Ah, as energias estão muito, muito intensas no momento e isso faz com que vocês meio que saiam do corpo. Faz com que vocês realmente entrem muito na mente, mas passamos esse tempo dos slides ajudando a equilibrar as energias por aqui, ajudando a deixar tudo pronto para o trabalho que realizaremos hoje. Todos estão prontos?

PLATEIA: Sim.

ADAMUS: Ah, claro, esta é a sala de aula da Nova Energia.

Sentimentos Puros

Então, vamos respirar fundo juntos e passar para a próxima música. Não foi um engano, realmente, na organização do evento. Eu quis guardar essa próxima música para o nosso momento juntos. E como o Mestre McMaster mencionou, imaginem agora, enquanto escutamos essa próxima música... imaginem que é o seu Eu cantando pra vocês – sua alma, seu espírito, seu ser interior. Enquanto a música toca, respirem fundo uma, duas, três vezes ou permaneçam respirando.

Não se concentrem muito nas palavras aqui, mas foquem as energias que, de fato, nós colocamos nessa música. Não que vocês vão senti-la quando fizerem o download dela, mas nós a preparamos ontem e hoje. Deixem-se levar para além das palavras reais, para os sentimentos. Não tentem traduzir nada com a mente. Não tentem adivinhar o que está sendo dito nem o que seu espírito está dizendo pra vocês. Entrem nos sentimentos puros, na voz do espírito em vez de na voz do humano. Busquem o sentimento puro.

Então, maestro, vamos tocar essa música.

[A música começa.]

“Ain’t Love Somethin” (O Amor não é o Máximo?)
de Sam e Ruby do CD "The Here and Now" (O Aqui e o Agora)

[Letra]

This is for the people holding hands (Isto é para as pessoas que dão as mãos)
And this is for the ones with broken hearts (E é para aqueles que têm o coração partido)

What I’m tryin’ to explain (O que estou tentando explicar)
Is in our lives there’ll come a day (É que chega um dia em nossas vidas)
When we find those feelings lost (Quando encontramos aqueles sentimentos perdidos)
In the dark (Na escuridão)

It’s the fallin’ (É a queda)
The flyin’ (O voo)
The losin’ (A perda)
The tryin’ (A tentativa)
It’s that crazy little thing that we call love (É essa coisa louca que chamamos de amor)

When it comes to you if I had to tell the truth (Quando isso acontece, se eu precisasse dizer a verdade)
‘Bout the mixed up thoughts my mind’s been thinkin’ of (Sobre os pensamentos confusos que minha mente tem)

Its like the sunshine and it’s like the rain (É como o sol e como a chuva)
You bring me pleasure and you bring me pain (Você me dá prazer e me faz sofrer)

I’m in over my head (Vou além da cabeça)
Got you under my skin (Tenho você sob minha pele)
Ain’t love somethin’ (O amor não é o máximo?)

Cheer up (Anime-se)
My little buttercup (Meu queridinho)
Your eyes are filled with reasons not to stay (Seus olhos estão cobertos de razões para você não ficar)

Let me say this once again, not as a poet, as your friend (Deixe-me dizer isto de novo, não como um poeta, como seu amigo)
The things you’re thinking right now I think every day (As coisas que você está pensando bem agora eu penso todo dia)

It’s like the sunshine and it’s like the rain (É como o sol e como a chuva)
You bring me pleasure and you bring me pain (Você me dá prazer e me faz sofrer)

I’m in over my head (Vou além da cabeça)
Got you under my skin (Tenho você sob minha pele)
Ain’t love somethin’ (O amor não é o máximo?)

It’s like the sunshine and it’s like the rain (É como o sol e como a chuva)
You bring me pleasure and you bring me pain (Você me dá prazer e me faz sofrer)

I’m in over my head (Vou além da cabeça)
Got you under my skin (Tenho você sob minha pele)
Ain’t love somethin’ (O amor não é o máximo?)

I’m in over my head (Vou além da cabeça)
Got you under my skin (Tenho você sob minha pele)
Aint’ love… (O amor não é…)
Ain’t love somethin’ (O amor não é o máximo?)

Oh yeah (Ah, é, sim)


ADAMUS: O amor não é grandioso? Particularmente, quando é o amor de vocês para vocês mesmos. Entre vocês e vocês mesmos, o amor é grandioso.

Então, o que você tirou daí, Tom?

TOM: Não sei. Você disse pra não prestar atenção.

ADAMUS: Ahhh. Ele é um homem sábio [risadas], porque, se ele tivesse me dito “tive aquela incrível sensação de conexão”, eu teria dito: “errado”. Muito sábio.

Errado. Você não tirou nada daí, porque a tendência de seu lado humano seria tentar enfeitar isso, fazer alguma coisa com isso, definir isso de um jeito mental. E para onde estamos caminhando juntos, vocês vão se descobrir do lado de fora da mente. Do lado de fora de sua mente.

Agora, não é que tenha algo de errado com a mente, mas ela é limitante. É limitante. A mente não compreende o amor verdadeiro. Ah, sua mente tenta entendê-lo, escreve sobre ele, fica imaginando o que ele é, mas a mente não é programada pra isso, não é capaz de entender algo tão simples quanto o amor. A mente não consegue.

A mente, como eu disse muitas vezes, é uma bela ferramenta, mas é apenas uma ferramenta. Ela não é o começo nem o fim. Agora não é hora de desenvolver a mente. É hora de abrir o espírito, trabalhando em conjunto com a mente e com o corpo, com seu passado, presente e futuro, tudo junto.

Vocês vão descobrir a si mesmos fora de sua mente, e é uma coisa incrível. Um tanto assustadora. Um tanto assustadora, porque a mente adora ter ordem, tornar tudo perfeito, decifrar o sentido das coisas, porque vocês acreditam que, se fizer sentido, vocês estão seguros. Mas, Deus do Céu, não, não! Não há nenhuma segurança nesse tipo de sentido – no sentido mental – nenhuma. Será que vocês ainda não descobriram isso? Só há confusão, caos, correr em círculos, perseguir o coelho até o fundo da toca e frustração. Então, é aqui que nós estamos.

Música e Arte

Que alegria é estar no palco dos Shaumbra com todos vocês, com Linda, com Aandrah e On e toda essa sintonia, porque realmente estamos nos aprofundando em coisas novas. Vamos tratar dessas coisas daqui a pouco, mas... voltando à música.

Adoro música – boa música. Essa foi uma música boazinha. Adoro boa música. Eu queria que alguém pudesse ajudar Cauldre e a equipe a selecionar músicas verdadeiramente clássicas. Porque algumas músicas... Não estou falando, Cauldre, de música velha. Ele acabou de me interromper dizendo: “Você está falando daquela coisa velha que você compunha e escutava?” [Risadas] Não. Estou falando de música que tem harmonia, ressonância e... mas deixa pra lá.

Música, não importa se boa ou ruim, possui uma bela forma de integrar-se na energia do sentimento, fazendo uma pessoa transcender a mente. Vocês aqui que são músicos entendem esse princípio básico. Não toquem mais “música” – não no sentido convencional das notas e escalas nem tentando compô-la com três minutos pra que possa tocar nas rádios.

Música... a música flui quando vocês a descobrem. A música é uma bela forma de transportar consciência e sentimentos. Arte... uma vez disseram que o mundo seria salvo pela arte. Incluo a música aí. Talvez isso seja, na verdade, mais apropriado hoje em dia do que antes. O mundo será salvo pela arte, pela música e pela criatividade, porque essas são as coisas que permitem despertar as energias reais e a consciência. É isso que permite essa expansão para uma Nova Energia. Assim, se vocês estiverem envolvidos nas artes...

Arte... Algumas pinturas dos antigos Mestres, e mesmo algumas dos novos Mestres... particularmente, daqueles promissores que ainda não foram descobertos, mas que sabem preencher completamente a pintura com energia, sentimentos, sentidos... quando os olhos miram a superfície dessas pinturas e veem as cores e determinadas formas, encontram energias em sua base que são potentes, muito, muito potentes.

Se olharem trabalhos dos antigos Mestres, em particular... alguns realmente sabiam introduzir verdadeiras mensagens nas pinturas – não só o que se vê nos traços artísticos, mas existem verdadeiras mensagens nessas pinturas – e essas mensagens perduram até hoje. As mensagens perduram.

Algumas belas pinturas estão em museus e, infelizmente, existem muitas escondidas em acervos particulares. Não aguentamos mais isso. Não vamos mais permitir, Klaus, que essas pinturas fiquem escondidas, aprisionadas. E a energia não permitirá isso. É realmente perigoso para aqueles que escondem antigos trabalhos de arte valiosos, porque a energia não fica confinada. Uma coisa é estar numa determinada forma por um tempo e vivenciar essa forma, Steve, mas ela detesta ser confinada.

É por isso que as encarnações – vida após vida – são tão importantes. Entendam, vocês tentaram uma vez desafiar a morte e não funcionou muito bem. Não funcionou muito bem. E o que aconteceu foi que vocês perceberam que seu corpo precisa mudar de forma. Sua identidade precisa mudar e expandir, e, se vocês querem permanecer na mesma forma o tempo inteiro, com a mesma identidade e expressão, ela vai explodir – vocês explodem. Não pelas próprias mãos, mas pelas mãos de outros. Cabum! Vocês estão fora. Mas vocês voltaram. E parecem bem. [Risadas] Vocês parecem... considerando tudo pelo que passaram, vocês parecem bem!

Música, arte, livros, a voz, tudo isso. O que vai acontecer é que vocês vão entender como tudo tem sido, ah, tão limitado e como é fácil passar para o próximo nível.

Existem pinturas por aí afora, músicas e criações que contêm muita energia verdadeira, e vocês vão aprender a fazer isso. O que quer que queiram fazer, seja cantar, dançar, escrever ou falar, o que quer que queiram fazer, vocês não vão mais fazer a partir daqui da cabeça, Leslie, seja comida, qualquer tipo de terapia que trabalhe com as pessoas.

Ah, vocês se prendem muito aos métodos da terapia. Vocês dizem: “Bem, alguém difundiu esse programa, essa modalidade de cura.” E, então, vocês tentam, mentalmente, se ater a cada ponto, e experimentam em si o quanto vocês conseguem se ater aos pontos. E vocês matam completamente sua criatividade. [Risadas enquanto Cauldre se abaixa para não passar na frente de um alto falante.] Eu queria vir pra este lado da sala, mas Cauldre estava com medo do alto falante!

Então, a mente não tem habilidades criativas seja ela qual for. Seja qual for. Vocês gostam de pensar que sim. Vocês gostam de pensar que seu esforço criativo vem do cérebro, mas não. Não vem. Alguns ficam muito frustrados com a criatividade, com a habilidade de expressar os sentimentos, porque ainda estão buscando a partir daqui da cabeça. E, nesta Nova Energia, vocês vão além dela. Estou bastante ansioso pra isso.

Os Mensageiros

Então, vamos falar por um momento sobre o que conversamos, sobre nossas mensagens. Nossas mensagens são velhas. São antigas, é bem verdade. Não teve uma coisa aqui – ainda – que seja nova. Tudo que Tobias disse, tudo que eu disse já foi dito antes. Só que foi dito de um modo um pouco diferente, talvez pra chamar a atenção, talvez pra ficar mais contemporâneo, mas tudo já foi dito. As mensagens são antigas.

As mensagens são antigas, e vocês são os mensageiros. Isso mesmo. É por isso que vocês estão aqui. Vocês estão aí escutando, porque vocês são os mensageiros.

Agora, sim, teoricamente, todos são mensageiros, mas alguns estão mais bem preparados e têm mais chance de serem mensageiros. Então, de certo modo, sim, vocês são especiais. Vocês têm sido os mensageiros desde o início – talvez seja difícil de aceitar? Vocês dizem: “Quem, eu? Adamus não está olhando pra mim.” Mas ele está. Vocês têm sido mensageiros desde o início, os primeiros a passar pela Ordem do Arco, a entrada ou o portal pra vir para a Terra assumir esta forma. Vocês foram sábios o suficiente pra sempre carregarem a mensagem dentro de vocês.

A mensagem é simples: Vocês são Deus também. Agora, ajam como ele. [Algumas risadas]

Ah, a mensagem pode ser transmitida de muitas maneiras diferentes. Pode ficar muito esotérica e muito filosófica. Ah, a filosofia – é outra coisa que vem direto da mente. Fica faltando... é muito chata. Já viram alguma filosofia que fosse agradável? Eu não. Não estudei nenhuma que fosse. Filosofia é mental, é chata. Permite que a mente fique perseguindo ela mesma o tempo inteiro, girando, girando, girando e, quando se cansa, inventa outra filosofia nova.

Basta olharem suas próprias vidas – em quantos grupos espirituais, aventuras esotéricas, empreitadas filosóficas diferentes vocês se meteram? Pra onde isso tudo os levou? Bem, pra um bom lugar... pra cá, mas... mas... bem, há muito mais.

Assim, queridos Shaumbra, onde estávamos? Estávamos falando de... ah, eu vou bem fundo em seu sentimento.

Então, vocês são os mensageiros. Vocês sempre foram. Vocês carregam dentro de si, pode-se dizer, uma partícula de consciência um pouquinho diferente do que a maioria das pessoas carrega. Elas têm o potencial de carregá-la, mas a maioria não carrega por várias razões. Elas não querem a responsabilidade de ser mensageiras, porque, entendam, vocês sabem o que acontece com os mensageiros! [Adamus dá uma risadinha e a plateia também ri.] Ficam ricos e famosos! Muitas pessoas não sentem a mensagem, bem, não é essa a paixão de suas almas. Muitas não querem assumir a responsabilidade de ser mensageiras. Mas todos vocês aqui e cada um que sente, que é tocado por esta mensagem, de um jeito ou de outro é um mensageiro.

Vocês trouxeram todas essas informações de tempos passados para este momento agora. Vocês tiveram vidas e vidas, Joyce, em que compartilharam a mensagem de uma forma ou de outra. Colocando a mensagem em outras palavras, talvez, colocando-a em palavras sagradas, cerimônias sagradas, mas vocês carregaram a mensagem no passado.

Então, vocês dizem pra si mesmos: “Mas a mensagem não é realmente nova.” Está correto. É isso mesmo, porque os humanos e, bem, vocês, não a assimilaram ainda – e isso não é uma crítica de modo algum. Vocês querem vivenciar o que é assimilá-la. Vocês também querem, enquanto mensageiros... [Adamus ri quando sirenes são ouvidas à distância.] Cauldre me perguntou outro dia: “Por que sempre há sirenes quando você fala, Adamus?” [Risadas] Você não devia fazer uma pergunta dessa, Cauldre, porque veja o que você ganha com isso.

Então, parte de vocês realmente entende a mensagem e parte de vocês escolheu não assimilá-la na íntegra, porque vocês querem voltar, de tempos em tempos, de novo, pra este planeta a fim de serem os mensageiros. Para serem os mensageiros. Mas, ao longo do caminho, às vezes, vocês se esquecem de que são os mensageiros. É um jogo interessante.

Vocês se esquecem. Daí, o que fazem os sábios mensageiros? Chamam fantasmas pra lembrá-los [risadas] de que vocês são os mensageiros, bem lá no seu DNA, Pete, no fundo de seu DNA. Seu DNA é diferente – de diversas maneiras – do DNA de muitas pessoas de fora deste grupo. Isso não o torna um DNA melhor ou pior; simplesmente, é assim, porque no fundo de seu DNA está uma paixão ou um desejo de ser mensageiro.

Os mensageiros, constantemente, levam um lembrete para todos os humanos. E o lembrete, novamente, é muito, muito simples: Vocês vieram do um; vocês são Deus também; vocês sempre são amados; não há necessidade de perdoar – essa foi uma estranha mensagem trazida. Não há necessidade de perdoar nem de ser perdoado. Isso é muito Velha Energia. Tem a ver realmente com aceitação e compaixão. Uma outra palestra que darei.

Assim, queridos, vocês são os mensageiros. Vocês vêm de tempos antigos, todos vocês – todos vocês, de um jeito ou de outro – para trazer essa mensagem para a Terra.

E eis o dilema, a razão pela qual levantei essa questão. Vocês estão um pouco confusos no momento. Qual é a mensagem agora? Será que vamos repassar a mesma mensagem indefinidamente? Desde os tempos de Lemúria e de Atlântida, a mensagem é a mesma. Foi apresentada de maneira diferente, dita de um jeito diferente.

Vocês dizem: “Será que vamos passar a mesma mensagem novamente?” E parte de vocês está muito cansada disso. Parte de vocês diz: “Mas já fizemos isso antes. Estivemos diante de grupos. Nós já... Adamus, já escrevemos os livros, já criamos as igrejas, já tentamos difundir a mensagem e ela não foi ouvida.” Em parte, é verdade. Alguns não estão escutando, mas muitos estão. E muitos precisam ouvi-la de você, Mary, acredite ou não, muitos precisam ouvi-la de vocês. Eles precisam ouvir a mensagem dita com suas próprias palavras, do seu próprio jeito, e é por isso que estou falando de voz, falando de expressão, porque eles precisam ouvir.

Agora, aqui está a diferença... pausa dramática enquanto bebemos água. A mensagem dos tempos antigos ainda é a mesma como sempre foi. De que maneiras diferentes vocês podem dizê-la, cantá-la ou pintá-la? No entanto, parte da frustração que vocês têm num nível profundo é de que não é correto. Não parece mais correto dar essa mesma mensagem, porque algo mudou. Alguma coisa está diferente, e vocês estão absolutamente certos. Por isso, muitos de vocês relutam em trazer o que têm pra compartilhar.

Não estou falando de uma grande mensagem filosófica ou religiosa; o mundo já tem o suficiente disso. Estou falando de... é difícil descrever... uma mensagem que vem do coração. Uma mensagem do Eu Sou. Uma mensagem de amor de si mesmo, colocando de maneira bem simples. O amor do eu.

Assim, parte de vocês está dizendo: “Mas como? Não parece certo continuar a ser um mensageiro. Não tenho certeza do que esperam que eu faça.”

Mentalmente – aqui está o que vocês fazem... mentalmente, vocês dizem: “Mas preciso perder peso. Preciso parar de fumar. Preciso estudar mais. Preciso...” O que quer que seja. Vocês têm todas essas desculpas. Esse é um processo mental. O que está realmente acontecendo é um processo do coração. Vocês sabem que existe algo diferente. E – é muito simples – é a Nova Energia. Porque a mensagem muda com a Nova Energia, não é mais a mesma mensagem. Não é mais a mesma.

Vocês precisam ouvir algo diferente de dentro de si mesmos. As outras pessoas precisam ouvir algo diferente de vocês agora, e é sobre isso que vamos falar hoje e ao longo dos próximos encontros.

Assim, respirem fundo e sintam dentro de vocês que vocês são os mensageiros. Vocês são. Por isso, estão aqui.

[Pausa]

Vocês vão ficar perplexos. “O que isso significa? O que esperam que eu faça? Se eu fosse um mensageiro, eu não teria uma mensagem brilhante a compartilhar com as pessoas?” Ela está vindo.

Respirem fundo.

Sua Verdadeira Voz

Uma das razões pela qual pedi em Shouds recentes que vocês buscassem sua voz, sua verdadeira voz, é porque vocês vão precisar dela. E não é só a voz de vocês, é a expressão de vocês, quer seja através da arte, da música, da escrita ou da fala, qualquer empreendimento criativo que tenham. Vocês vão precisar dela. Vocês vão querê-la e, por isso, venho dizendo pra trazerem de volta essa voz. E talvez pareça uma contradição. Numa hora eu digo pra trazerem de volta essa voz, falarem com a voz bem lá de dentro, não com aquela vozinha, não com a voz da mente, mas aquela lá do fundo... Tragam de volta essa voz. Mas no minuto seguinte eu digo pra não usarem palavras quando falarem comigo. Isso é contraditório? De jeito nenhum, Edith. Não é contraditório. Deixem-me explicar.

Quando vocês não usam palavras ao se comunicarem com qualquer um de nós, quando não definem essa comunicação como sendo em inglês, alemão nem romeno, quando vão além da necessidade das palavras, é aí que vocês se descobrem fora da mente. Isso vai colocá-los em contato com essa parte linda e verdadeira de vocês que desafia a explicação. Vocês vão aprender a realmente se comunicar com cada parte de vocês novamente.

Fazendo assim, vocês voltam para a verdadeira voz do seu espírito. Fazendo assim, voltando para sua verdadeira voz interior – não a voz sonora, mas a voz interior –, vocês mudam sua voz física. Mudam o modo como as energias surgem e se manifestam. Entendam, por enquanto, quando vocês falam, eu diria que, geralmente, tudo vem daqui da cabeça. Quando vocês falam, um processo mental coloca as coisas em palavras. Mas quando vocês falam a partir do eu espírito, vem daqui do coração. Não precisa passar pela cabeça, e sua mente não vai ficar com ciúmes; ela já tem muitas outras coisas pra fazer. Não precisa passar pela cabeça, vem do coração direto para a boca. Não passa pela mente.

E, repetindo, a mente não importa. Não passa pela mente, então, quando uma palavra sai de sua boca, quando uma frase ou uma história inteira sai de sua boca, não são mais palavras. São energia. Sentimento. Consciência. Amor. Compaixão. É o Eu Sou vindo e se expressando através de vocês.

Assim, não importa mais se as palavras saem ou não de maneira articulada, se vocês têm ou não um vasto vocabulário. Não importa como vocês usam as palavras nas frases. Passa a ser uma expressão completa e as pessoas que estão à sua volta, de repente, vão começar a sentir algo diferente vindo de vocês. Elas não vão mais dormir quando vocês falam. [Adamus ri.] Não vão... não vão se prender ao que dizer depois, porque elas sentem vocês. Não estão travando uma comunicação mente a mente, como é a maioria das comunicações humanas no momento.

De repente, de repente, Diane, passa a existir um tipo inteiramente diferente de comunicação, como a que estamos tendo bem agora. Ah, vocês estão ouvindo as palavras, como se entrassem bem fundo, mas não é mais o que importa, porque tem algo muito íntimo, de um jeito lindo, acontecendo entre nós. [As mãos de Adamus estão nos ombros de Diane.]

Está sendo transmitido pela voz, mas também vem de cada parte do corpo de Cauldre, de cada parte de mim pra vocês. Por isso, ela se torna muito encantadora, cheia de compaixão e a comunicação que se dá é de alma a alma, em vez de mente a mente. E é para onde estamos caminhando.

Espero que isto faça sentido. Não, na verdade, espero que não faça [risadas], porque talvez, então, a gente chegue lá.

Assim, respirem fundo, pois vocês são, sempre foram os mensageiros.

Vou entrar na área da Nova Energia agora. Da Novíssima Energia.

De Onde Vem a Energia

Deixem-me rever um pouco o que falamos na última sessão. Falamos do fundamental. Do básico. Vou pedir agora a vocês que prestem atenção, é claro, mas que deixem cada parte de vocês prestar atenção. Não tentem dissecar isto só com a mente. Prestem atenção com cada parte do seu ser. Vocês assimilarão isto num nível diferente.

Então, falamos na última sessão... [Adamus desenha um círculo com um ponto no meio.] e esperamos que nosso desenho esteja bom pra Linda.

LINDA: Até agora, está muito bom.

ADAMUS: Até que a gente comece a escrever...

LINDA: Não é anatomia, é?

ADAMUS: Aqui estão vocês. Aqui estão vocês, como dissemos antes. Representados pelo círculo com um ponto no meio. Uma simbologia antiga muito simples, pois mostra que vocês vieram do Tudo que Foi – que não existe mais porque mudou. Vocês vieram de Tudo que Foi. Vieram para fora de Tudo que Foi. Vocês desenvolveram sua própria identidade, sua expressão de alma. Então, aqui estão vocês.

É a consciência. Vocês são consciência. De um jeito muito, muito único, sua consciência atrai energia – energia neutra – então, vou escrever “energia neutra” aqui. [Adamus escreve NE (neutral energy) à esquerda do desenho.]


A pergunta é: De onde essa energia vem pra início de conversa? O Espírito não era energia. O Espírito era – e ainda é – consciência absoluta.

SHAUMBRA: De nós.

ADAMUS: Sim, de nós – de vocês –, de nós. Como ela foi criada? Como ela passou a existir? Será que ficou pairando solta aí fora? Não, porque aí fora era só um grande vácuo. Um ponto importante a ser relembrado aqui... esta é a física de Adamus, que normalmente não está de acordo com a física científica. Tive minhas desavenças com as pessoas no passado com relação a isso. Fui banido de cidades inúmeras vezes.

Então, a pergunta é: De onde vem essa energia, em primeiro lugar? Boa pergunta.

Quando vocês deixaram o Lar... vou colocar o Lar nesta grande nuvem aqui em cima. [Adamus desenha uma nuvem acima do círculo com o ponto.] Vocês saíram do Lar, sua própria identidade, sua própria consciência. Uma das primeiras coisas que vocês fizeram foi se afastar, é claro, do Lar. Então, vocês... Vou mostrar uma forma de descrever isso, mas... existem muitas outras formas... mas, basicamente, vocês se separaram do Espírito. A separação original, o selo original. Então, vocês se separaram do Espírito, se desprenderam. [Adamus desenha, verticalmente, abaixo do círculo com o ponto, dois triângulos unidos pelo vértice, com um risco entre eles para indicar a separação.]


Em seguida, vocês criaram, pode-se dizer, o que seria um aspecto masculino/feminino de si, uma luz e uma escuridão e uma aparência interior e uma aparência exterior. Vocês criaram a separação de si mesmos de muitas maneiras diferentes.

Foi brilhante, porque a separação, a diversidade, a divisão permitiram que vocês se vissem, se conhecessem, tudo como resposta para a pergunta que vocês faziam – talvez não devessem ter feito – “Quem sou eu? Quem sou eu? Onde estou? Por que estou?” Todas essas perguntas da consciência fizeram com que vocês se separassem. Vocês agora tinham um yin e yang. Vocês tinham mãe/pai, a luz e a escuridão. Vocês tinham todas essas dualidades diferentes dentro de si.

No momento em que uma separação ocorreu, e até hoje separações realmente ocorrem num sentido cósmico, cria um desejo de retornar, um desejo de se reintegrar, um desejo de se tornar inteiro novamente. E isso criou a energia.

Esse desejo, sim, de vivenciar a si como masculino/feminino, luz e escuridão, espírito ou humano, o desejo de vivenciar a dualidade, de se conhecer é enorme, mas há um desejo maior e uma paixão maior chamada “Reunir-se novamente. Ser um de novo. Integrar-se ou voltar a ser quem Eu Sou”, [falando de maneira intensa] porque vocês não podem permanecer... Fiquei um pouco emocionado aqui, porque, verdade seja dita, não existem muitos humanos na Terra que escutariam isto ou mesmo entenderiam isto. E parece simples pra vocês. Parece muito simples, mas já falei com outros grupos, outros indivíduos... eles não assimilaram isto. E tudo bem, porque – é onde eles estão no momento. Eles não entendem isto. E é fascinante.

Essa ilusão de separação – que é um fator importante; uma ilusão de separação – criou uma energia muito intensa onde só havia existido consciência, criou a energia para levá-los de volta ao Lar. É desse modo que vocês são brilhantes. Será que vocês se separariam e não dariam a si mesmos a ferramenta para voltarem a se unir? Vocês se separariam e diriam: “Talvez eu esteja perdido pra sempre”? Eu acho que não. Eu acho que não. Eu sei que não.

Assim, foi daí que veio a energia. O Espírito, basicamente, não sabia o que era energia. Não fazia ideia. Nunca ouviu falar de energia. Não precisava de energia. Somente quando vocês deixaram o Lar, criaram ou possuíram uma identidade distinta, sua soberania e, depois, saíram para ter a experiência de si mesmos através das dinâmicas da dualidade ou separação é que a energia foi criada. Isso criou a energia e é com ela que vocês têm trabalhado desde então.


Criando a Realidade

Bem... uau! Agora... então, aqui estão vocês como seres com consciência, trazendo energia para sua realidade. Vocês trazem essa energia como mostramos no nosso diagrama do mês passado. [Adamus muda de folha no flipchart e desenha o círculo com um ponto no meio e setas apontando para o círculo em toda a sua volta.]

Vocês trazem essa energia – vocês a atraem. Existe uma lei da atração, mas tenham cuidado, porque a lei da atração, como a maioria das pessoas a compreende, é muito mental. Muito mental. A verdadeira lei da atração e a capacidade de criar a realidade e manifestar vêm da paixão e do desejo. Quais são as paixões e os desejos originais... essenciais para qualquer ser que possui alma? Tic tac, tic tac.

UM SHAUMBRA NA PLATEIA: Saber quem ele é.

ADAMUS: Retornar para si mesmo mais cedo ou mais tarde. Vocês nunca, nunca mesmo, perdem essa conexão. Vocês nunca perderão. Sei que alguns de vocês se preocupavam – ou se preocupam: “E se eu me perder?” Vocês realmente não conseguem. Vocês podem entrar no que parece ser a ilusão da eternidade se perdendo, mas vocês nunca perdem, verdadeiramente, a conexão que vocês têm com vocês mesmos, com esse retorno.

Assim, os desejos, as paixões da alma são: se conhecer, se expressar, retornar para si mesma e evoluir para uma consciência e uma realidade desconhecidas do Eu até então. Estas são as paixões.

Se vocês observarem as forças que direcionam sua vida... eu sei quantos de vocês estão confusos: “Bem, por que não consigo criar nem manifestar o que eu quero?” Vocês estão confusos. Vocês estão, sem dúvida. E vocês dizem: “Mas, Adamus, isso está me esgotando. Que saco!” [Risadas, até de Adamus] Está, sim. Está, e é por isso que vocês estão aqui [risadas], porque vocês não precisam mais que isso esgote sua energia. Vocês precisam que sua energia se expresse e é por isso que estamos aqui.

A paixão da alma. Sintam a própria paixão de alma por alguns instantes.

[Pausa]

É isso que causa a sua realidade. Pode ser dito de outras maneiras, mas eu citei os quatro enunciados básicos simples da paixão e do desejo da alma. Pode ser dito de muitas maneiras diferentes, mas as paixões e os desejos da alma são: se conhecer, se expressar, retornar para si mesma e mover-se para níveis nunca atingidos antes. Alguns chamam de Terceiro Círculo, soberania. Sim, Sim com uma variação, e essa variação é a Nova Energia.

Por falar nisso, vocês se lembram de Tobias dizendo que os Mestres estavam voltando? Agora já existem centenas e centenas de Mestres de volta à Terra, na forma física, e eles estão ficando muito, muito ligados a cada um de vocês. Se vocês estão sentados na cadeira aqui dizendo: “Tá, mas sou novo aqui. Adamus não está falando comigo.” Ah, sim, estou. Se vocês estão sentados aqui dizendo: “Mas eu não sou um dos Shaumbra promissores. Só estou seguindo o rastro.” Não, não está. Vocês não estão. Estou me dirigindo a cada um de vocês. Todos. Então...

Bom, esses quatro enunciados é que criam a realidade em sua vida e é o que faz com que determinadas coisas se manifestem. Voltando à nossa conversa da semana passada, na celebração do Ano Novo, uma querida Shaumbra ficou diante da plateia... bem, na verdade, eu é que mandei que ela fosse pra frente; ela queria ficar sentada... Mas a questão era: “Adamus, o que está errado na minha vida? Perdi meu emprego. Perdi meu relacionamento, meus filhos, minha autoestima, minhas amizades, minha carreira. Tudo se foi. O que está errado?” Nada. Nada.

Se pararem um instante e observarem a paixão e o desejo de sua alma ou o que realmente está criando sua realidade, não serão as coisas que vocês acham que são. Não são essas coisas. O que cria sua realidade são esses movimentos de energia profundos e, no caso da Jennifer – sei que você não se importa de eu mencionar o seu nome... bom, agora é tarde [risadas]... mas no caso da Jennifer, a questão era que ela tinha que limpar tudo... ela pensava que tinha que limpar tudo na vida dela, afastar tudo pra se livrar do lado humano de sua vida. Ela já caiu nessa mesma armadilha noutros tempos, noutras existências, de ter muito – muito poder, muito dinheiro, muitos relacionamentos – e ela disse: “De novo, não!” Assim seja. Assim seja. Ela preservou sua beleza, porque é um lembrete pra ela de que ela é Deus também, mas ela estava à beira de perdê-la porque, mesmo isso, ela achava, talvez, que fosse a última coisa no meio do caminho para realmente descobrir essas questões, as verdadeiras paixões da alma.

Shaumbra, vocês não precisam fazer as coisas assim. Não precisam, e alguns de vocês têm chegado a extremos no modo como evoluem. Vocês têm chegado a extremos, pensando que o lado humano não combina com o lado espiritual e que não é verdadeiro. Eles... vou pra frente da sala dizer isso. [Adamus volta para a frente da sala.]

Quando vocês reúnem tudo, juntam o masculino/feminino, a luz e a escuridão, quando vocês retornam para si mesmos, por causa desse tremendo fluxo de energia, vocês também juntam seu lado humano e o espírito. Essa é uma dualidade que vocês se permitiram vivenciar, como luz e escuridão, masculino/feminino. Vocês não destroem seu lado humano para revelar seu lado espiritual; vocês os reúnem. De fato, eles querem ficar juntos. Algumas partes de vocês podem não acreditar nisso, mas, de fato, eles querem ficar juntos.

Assim, temos o caso de Jennifer que, na verdade, é uma criadora brilhante, está afastando tudo de sua vida e vem aqui na frente dizer: “O que estou fazendo de errado?” Absolutamente nada. Vocês criaram um tipo de vácuo para si mesmos. Vocês se livraram dos ruídos, das interferências e de tudo mais para poderem ter esse tempo com vocês mesmos, o que, talvez, seja a parte mais assustadora de todas – passar um tempo com vocês mesmos; ter que se enfrentar, não por causa de algo ruim que fizeram, mas... bem, fechar o círculo e ter uma parte de vocês realizando isso. O jogo acabou. O jogo chegou ao fim. A perseguição, a busca cessou.

Isso é assustador, porque uma parte de vocês diz: “Bem, e agora? O que vai acontecer?” Parte de vocês diz: “Na verdade, era confortável fazer as coisas do velho jeito humano.” Mas cada um e todos vocês... bem, vou falar disso daqui a pouco, mas vocês estão atraindo energia aqui [aponta o círculo] para a manifestação, e eu desenhei estes rabiscos se manifestando aqui. [Adamus desenha linhas onduladas descendo do círculo.]

Aqui temos a realidade física de vocês – vou chamar de Terra [Adamus desenha, abaixo das linhas onduladas, uma curva, representando a Terra], a realidade física aqui. E vocês estão tentando manifestar e lutando com isso no momento. Existem muitas coisas, como dissemos na sessão passada, que interferem neste estágio aqui [aponta as linhas onduladas]. Primeiro, às vezes, suas criações, suas manifestações, nunca vêm para esta realidade, bem aqui [na Terra]. Nunca vêm para a Terra. Elas acontecem noutro lugar lá fora [aponta para o espaço vazio] e o que vamos focar é como trazê-las para cá, se é isso que vocês escolherem mesmo.


Tem muita confusão por aí sobre como vocês fazem isso acontecer, sobre o que gera a criação. O que está criando sua realidade, Roger?

ROGER: A emoção.

ADAMUS: A emoção, sim. Fico feliz que não tenha dito: “Meus pensamentos.”

Agora – e podemos entrar numa discussão muito longa aqui –, alguns dizem: “Certo, mas os pensamentos não criam a realidade?” Não muito bem. Não muito bem.

Vocês ficam... alguns de vocês ficam com muito medo de seus pensamentos, com muito medo de pensar coisas, porque têm medo de que elas... Vamos pensar um instante... vamos pensar sobre câncer. Vocês não querem! Não, porque vocês podem manifestá-lo. Bem, se vocês fossem tão poderosos, por que simplesmente não pensam em um milhão de dólares e manifestam isso?? [Muitas risadas] Será que vocês só manifestam coisas negativas? Não, não, não.

Os pensamentos, geralmente, eles não são muito... A mente tem... nas palavras de Cauldre... a mente tem um jeito muito esfarrapado de criar a realidade. Ela não faz direito. Vocês todos já participaram desses cursos de controle da mente? Por favor! Vocês fizeram cursos de afirmação, de energias focadas – todos são mentais. Todos mentais, e talvez alguns discordem com veemência, mas discordar com veemência também é uma coisa mental. [Risadas] Discordar com veemência de mim, normalmente, não é nenhum sinal de vitória. [Mais risadas]

Então, vocês fizeram esses cursos sobre o pensamento. Vocês leram muito sobre coisas como leis da atração. Sim, leis da atração são reais quando vocês são reais. Mas, quase sempre, quem usa esses princípios entra nos pensamentos.

Pensamentos... a mente não tem criatividade alguma. Não, mesmo. A criatividade não vem da mente. A mente nunca foi programada, construída nem desenhada por vocês para ser criativa, então, a criatividade não vem da mente.


De Onde Vem a Criatividade

Então, há muita discussão: “Bem, então, o que cria a realidade?” Bom, como mencionei antes, as forças criadoras são: desejo, paixão... [Adamus escreve à esquerda das linhas onduladas.]

SHAUMBRA: Simplicidade.

ADAMUS: Alegria e simplicidade.

LINDA: Obrigada. [Linda agradece por Adamus lhe passar a caneta.]

ADAMUS: Estas coisas criam... elas, na verdade, estão criando a realidade de vocês, mas vocês não estão conscientes disso. São verdadeiros motivadores ou verdadeiras dinâmicas por trás da criação da realidade de vocês.

Vou pedir que, talvez, vocês possam abrir a porta de trás. Está ficando um pouco abafado aqui e vocês vão desmaiar daqui a pouco. Então, deixem entrar um pouco de ar fresco.

Então, os falsos motivadores, as falsas dinâmicas, onde muitas pessoas ficam... onde vocês ficam bem confusos... Aquilo que não está funcionando agora é a força... [dirigindo-se à Linda, que vai escrever] Escreva “falso”...

LINDA: Onde quer que eu escreva?

ADAMUS: Bem aqui. [Adamus pede que Linda escreva à direita do círculo.] Falso...

LINDA: Força.

ADAMUS: Força... Falso!

LINDA: Falso!

SHAUMBRA: E o primeiro item é força.

ADAMUS: Então, vocês têm esses falsos motivadores que, repetindo, vêm da mente, não verdadeiramente do coração. E são eles: força, poder e esforço. Esforço.


Todos vocês podem reconhecer isso, porque vocês passaram – ou talvez ainda passem – muito tempo fazendo isso; usando a força para criar a realidade, usando o poder para manter sua identidade e criar, assim, a realidade e se esforçando. É uma camada hipnótica e um velho sistema de crença, o esforço.

Novamente, falamos, em todos os níveis, na maioria das vezes, e ainda existe uma parte do seu lado humano que acredita que precisa se esforçar para realizar alguma coisa. No fim do dia, vocês se olham e dizem: “Será que me esforcei o bastante?” E, então, vocês avaliam – foi um dia bom, foi um dia ruim – com base na quantidade de esforço realizado. Bem, é como dizer ao hamster naquela rodinha: “Quantos quilômetros você fez hoje?” Nenhum. Nenhum.

Assim, esse é o jeito velho – o jeito muito velho de tentar criar a realidade e não funciona muito bem, porque é mental, porque não tem desejo, paixão nem alegria; porque não os torna um novamente; porque não permite a verdadeira expressão e expansão. Esse é o jeito muito, muito Velha Energia de fazer as coisas. [Adamus gesticula para que Linda lhe passe a caneta.] Gosto de ficar segurando alguma coisa.

Então, estamos tentando manifestar aqui, tentando trazer coisas pra cá. Vocês estão aqui na Terra como humanos [A plateia ri quando Adamus desenha, de novo, noutra folha, o círculo com o ponto no meio e as setas, mas desta vez o desenho ganha a forma de um humano.], tentando trazer energias para sua realidade a fim de originar, criar e manifestar o que escolherem.


Não está funcionando muito bem, porque vocês têm colocado o foco aqui [apontando para a cabeça] – estou falando com todos os humanos agora, porque os humanos têm colocado o foco aqui – por diversas razões. Falamos sobre uma delas na semana passada: hipnose massiva. Hipnose massiva. Está acontecendo, até onde me lembro, num grau ou noutro. São as origens que, verdadeiramente, remontam ao tempo de Atlântida e a ocupação com a mente, a tentativa de padronizar a mente, mas que entraram em muitas outras áreas negativas.

Tudo isso fez com que a mente humana, que, na verdade, em dado momento, era o que vocês chamariam de servente da alma... e, a propósito, o serviço é uma coisa muito boa... a mente estava a serviço do divino interior. Essa ocupação com a mente, basicamente, separou a mente e o divino. Antes, realmente não havia uma separação. Mas isso ocasionou a separação e a capacidade de ignorar o divino, embora ele esteja bem aí, de vocês se verem apenas como humanos, embora o divino esteja bem aí. Esse trabalho em Atlântida foi um tiro que saiu pela culatra e criou a ilusão mente versus espírito. De fato, criou esse estranho e esquisito fenômeno chamado “busca”. [Adamus escreve à direita do bonequinho, e fala com Linda.] Eu devia ter pedido pra você escrever.

Agora, isso não aconteceu tudo num dia só; levou centenas e centenas de anos em Atlântida... O trabalho com a mente criou algo chamado: “Vamos buscar o Espírito. Vamos buscar Deus ou a resposta ou o que quer que seja.” E essa busca foi programada na mente [Adamus desenha uma seta saindo do que escreveu para a cabeça do bonequinho], programada do mesmo modo que vocês programam um computador pra fazer certas coisas. Tem sido programada pra buscar constantemente, mesmo que esteja bem aí. Sempre esteve, sempre estará.

Isso também tornou a mente acessível para energias de fora. Inicialmente, os anjos construíram a mente de modo que ela fosse tão soberana, única e impenetrável quanto sua alma. Graças a Deus, vocês não mexeram com a alma. Ela é impenetrável por forças externas. Em outras palavras, ela nunca pode ser dominada. Nunca pode ser roubada de vocês. Vocês são os únicos que podem esconder sua alma de vocês.

Mas, de qualquer forma, então... a mente se tornou acessível. Em outras palavras, influenciável – sujeita à influência. É assim desde que podemos nos lembrar.

Então, aqui, vocês têm os potenciais massivos de camadas hipnóticas. O mundo está repleto deles, alguns são muito deliberados e maliciosos, muito intencionais; outros “acontecem porque acontecem” – pessoas tentando lhes vender algo, familiares tentando mantê-los na rede que costumo chamar de rede cármica ancestral. É difícil perder alguém do seu histórico ancestral. Entendam, vocês todos viajam juntos, em grupo; quando alguém deixa o grupo, parece uma afronta, um insulto para os outros do grupo. Eles não gostam de ver vocês partirem. Vocês querem realmente entender as pessoas ao seu redor – seus parentes, aqueles com quem vocês têm viajado por éons de tempo? Partam. Vão embora!

Agora, estou até vendo as manchetes: “Seita Pede a Todos que Larguem Suas Famílias.” Com certeza. Com certeza! [Risadas quando Linda faz uma cara de quem não gostou.] Porque vocês não vão...

LINDA: Nem mesmo mencione isso. Depois, vai sair na seção policial.

ADAMUS: Isso! Isso mesmo – precisamos de um pouco de publicidade. Precisamos que nossas energias fluam. Ficamos escondidos por muito tempo. [Linda continua com cara de quem não está gostando e Adamus fala com ela.] Confie em si mesma.

Então, sim, deixem a família. Agora, não estou dizendo pra fazerem as malas e deixarem os filhos sem jantar de noite. O que estou dizendo é pra se desligarem das pessoas da família, porque vocês não podem amá-los do jeito que as coisas estão, do jeito que podem realmente amá-los quando vocês deixam ir os velhos laços.

Não estou dizendo pra saírem correndo de casa; estou dizendo pra ficarem, mas liberem as velhas identidades. Vocês esqueceram quem eles realmente são. Vocês esqueceram a razão pela qual se uniram a eles desde o início, a razão pela qual escolheram uma jornada de milhares de existências com eles. Vocês ficaram tão acostumados com eles, tão condescendentes, que simplesmente os veem como membros da família. Vocês simplesmente consideram cada um deles um “carma sem alça” [risadas] e eles não são. Eles são muito mais grandiosos e gloriosos. Apenas imaginem que existe uma corda amarrando todos nós juntos porque tivemos muitas, muitas existências e agora estamos muito acostumados a esse padrão. Quando vocês soltam a corda, eu vejo vocês como vocês realmente são, não como aquele membro da família que eu pensava que vocês eram.

Então, sei que a Linda querida ficou meio nervosa aqui, mas, de fato, a maioria dos humanos entenderia isto em algum nível.

LINDA: Eu entendo pra mim. Só não gosto das manchetes.

ADAMUS: Você deveria se acostumar com elas. [Risadas]

LINDA: Ah!

ADAMUS: Então... então, queridos Shaumbra, vamos continuar... nós nos desviamos do assunto aqui.

Então, as influências hipnóticas – falamos sobre elas no nosso recente encontro de Ano Novo... As influências hipnóticas massivas ao redor do mundo, neste momento, estão afetando vocês. Elas ainda são parte da razão pela qual vocês aceitam certas realidades. O interessante é que, num instante... num instante, vocês podem liberar isso, fazendo uma simples escolha. Vocês podem fazer a escolha de não deixar que essas influências hipnóticas comandem, ditem nem controlem a sua vida.

Mas esperem. Antes de fazerem essa escolha, antes de respirarem fundo, do que vocês estarão abrindo mão?

SHAUMBRA: De quase tudo.

ADAMUS: De quase tudo? Por assim dizer, de muita coisa, porque tem sido legal estar no modo programado – no programa de outra pessoa, não no seu. É confortável, pois vocês não têm que assumir muita responsabilidade por sua vida. Ela simplesmente acontece. Qual a expressão que usam?

SHAUMBRA: É a vida.

ADAMUS: Isso! Sim, é isso.

LINDA: Edith? Espere, espere. Qual era a expressão?

ADAMUS: É a vida.

LINDA: Ahhh.

ADAMUS: E acho que esse é também um jeito contemporâneo de dizer que o destino se desenrola diante de mim; portanto, sigo esse caminho. É a vida [rindo]. Mesmo que não exista um caminho só de destino; existam muitos. Mas vocês teriam que assumir a responsabilidade de dizer que não existe destino. Vocês teriam que assumir a responsabilidade de escolher novamente, escolher coisas em sua vida. Vocês teriam que assumir a responsabilidade pela crítica das pessoas, pois elas vão criticar: “Por que você não faz assim?” A família vai dizer o que está errado com vocês, os colegas de trabalho vão avaliar vocês. E, sabem como é, às vezes, é mais fácil se fechar e deixar tudo como está.

Então, eu desafio muitos de vocês – não todos, mas muitos – que ficaram preguiçosos. Vocês sabiam, antes de falarmos hoje, que podiam fazer a escolha de sair da hipnose, da hipnose da consciência de massa. Vocês sabem há anos, mas não fizeram nada, fizeram? Porque, antes de tudo, vocês pensaram muito. Vocês avaliaram. Vocês tentaram dissecar isso e acabaram de cara no chão. Vocês tentaram dizer: “Bem, qual é a hipnose? O quanto ela está me afetando? Se eu acabar com ela, o que acontecerá? O que virá em seu lugar?” Vocês percebem? Vocês foram para a mente. E esqueceram disso.

Bom, vocês não fazem nada com relação a isso e aqui estão vocês, aqui estou eu, novamente, um mensageiro para lembrar os mensageiros. E vocês não precisam aguentar mais essa situação. Vocês podem fazer uma escolha hoje – antes de saírem por aquela porta, antes de desligarem os computadores – e deixarem de aceitar isso. E sabem de uma coisa? Como essa escolha normalmente vem de um lugar alinhado com o desejo e a paixão de sua alma, com a alegria e a simplicidade, então, ela acontece. [Adamus volta para a segunda folha onde escreveu os desejos da alma e aponta pra eles.]

Quando vocês se reequilibram, reajustam sua consciência, vocês passam a atrair energias de suporte totalmente diferentes pra criar a realidade [Adamus sinaliza com a caneta a área acima do círculo e arrasta a caneta em direção à área da manifestação], e não mais se sujeitam à hipnose. Vocês ficam livres. Estar livre pode ser um bocado assustador. Perguntem a alguém que esteve preso por 25 anos ou mais. Pode ser assustador.

Então, queridos, queridos, queridos Shaumbra, vocês estão criando a realidade de vocês.


O que Vocês Querem?

Diga-me, Kathleen, o que você quer? O que você quer?

KATHLEEN: Me expressar com alegria.

ADAMUS: Se expressar com alegria. Certo, ótimo. Lex, o que você quer?

LEX: Neste momento, nada.

ADAMUS: Isso é o que você terá. [Risadas] Não é ruim. Não é ruim. Deb... Deb Phenicie, o que você quer? O que você quer?

DEB: Clareza.

ADAMUS: Clareza. OK. Então, vamos escrever para quem está nos vendo. [Adamus escreve noutra folha.] Queremos clareza. Queremos nada. Queremos nos expressar com alegria. Está certo, Kathleen?

KATHLEEN: Está.

ADAMUS: Expressar-se com alegria. E vou escrever... Cauldre está me dando uma dica... tudo bem, certo, vou escrever PQ (“Pra quê?”) depois dessa última. [Para Linda] Tenha paciência comigo um pouco.

LINDA: Ah, é.

ADAMUS: Então... e, Sart, o que você quer?

SART: Olá. Eu quero um carro novo no momento. Sete. [Risadas]

ADAMUS: Um carro novo. [Adamus está escrevendo.] Um carro novo... só sete. Eu quero... vou pedir a compreensão dos Shaumbra por pegar pesado. [Muitas risadas]

Então, certo, é suficiente por enquanto. Mas eu alego que, Kathleen, não, você realmente não quer se expressar com alegria. E alego que, Lex, nada não é exatamente o que você quer. E alego que, Deb, você não quer realmente clareza. Não quer. E, Sart, você, sim, quer um carro novo. [Muitas risadas e aplausos da plateia]

E digo isso... Estou feliz por estarmos nos divertindo juntos, mas digo isso porque quero que todos vocês hoje – hoje, não amanhã, mas hoje – respondam: o que vocês querem? O que você quer, Ralph?

RALPH: Uma vida nova.

ADAMUS: Uma vida nova. Tenha cuidado com o que pede. Eu completaria dizendo uma vida nova no mesmo...

RALPH: Corpo. [Risadas]

ADAMUS: … na mesma realidade física [Adamus ri], porque eu afirmo que acontece, Ralph, e...

Então, eu alego que, não, você não quer clareza. Não, não é que você não queira nada. Na verdade, nós conversamos muito e você tem uma lista tão longa quanto ou mais longa do que os outros. E expressar-se com alegria... sei não. Acho que não. E sabem por quê? Porque, se vocês realmente quisessem essas coisas, vocês a teriam. Agora mesmo.

Vocês ficam fazendo masturbação mental ou o que chamariam de... se me permitem dizer... tendo uma conversa fiada com vocês mesmos. Você diz que quer uma vida nova. Não, você não quer; do contrário, você a teria, Ralph. Do contrário, você a teria. Vocês sonham com essas coisas. É um sonho atraente. Mas se vocês realmente quisessem, vocês teriam tudo isso.

E para aqueles que disseram que querem iluminação, tsk, tsk, tsk, tsk, tsk, tsk, sinto compaixão por vocês, buscadores de iluminação, porque vocês são muito vulneráveis à programação de buscar. [Adamus volta para a folha do bonequinho.] Por quanto tempo vocês buscam a iluminação e há quanto tempo ela está bem na sua frente? Mas vocês estão buscando. Então, não, vocês realmente não a querem; vocês gostam de sonhar com ela. Vocês gostam de seduzirem a si mesmos. Vocês gostam de ser seduzidos. Você está jogando um jogo, Deb, e o restante de vocês.

[Adamus se dirige à Deb, com quem ele também falou no evento do Ano Novo.] Nós conversamos. Foi uma conversa muito boa e foi uma semana interessante desde então, para nós dois. E você ficou zangada comigo em muitas ocasiões, recentemente, mas alguma coisa está despertando dentro de você, Deb, e está fazendo você dizer: “Eu Sou o que Sou!” E não só com a cabeça, não só pelo hábito, mas está fazendo você dar uma olhada nos jogos que os humanos jogam. Você tem que dar uma olhada nos seus, primeiro. E, como resultado disso, querida Deb, nos jogos... você será uma brilhante conselheira, professora, palestrante... nos jogos que as pessoas jogam. E você vai entender o tormento de ser levada por esses jogos. Todo mundo joga esses jogos. Todo mundo, você não é a única. Você é alguém que está tentando sair deles. Quando pára o carrossel? Quando acabam os jogos? E eu lhe dou crédito por se levantar. Parte de você está dizendo: “Chega.” Parte de você está dizendo: “Mas foi tão divertido. Tão divertido...”

Se vocês realmente quiserem... vou falar da saúde de vocês... vou falar daqueles que, bem agora, estão quase indo pra esfera seguinte... vocês dizem: “Ah, preciso ser diferente, porque eu quero realmente viver.” Não, vocês não querem; do contrário fariam isso. Afirmação cruel, afirmação forte e muito verdadeira, porque vocês são criadores e, se realmente quisessem, estaria acontecendo. E para vocês que culpam os outros, que culpam qualquer coisa – da água que bebem ao ar que respiram, até os pensamentos que são tóxicos para o seu ser – para vocês que culpam todo mundo é mentira, é falso. Se você realmente quisesse, Bonnie, você conseguiria. Conseguiria. E todos vocês... vocês conseguiriam.

[Pausa]

Portanto, não venham mais me dizer, quando temos nossas longas, longas conversas, que vocês querem alguma coisa; me digam como vocês vão manifestar isso. Me digam como vocês vão tornar isso real. Me digam como isso se encaixa no desejo, na paixão, na alegria e na simplicidade. [Adamus volta para a folha com os desejos da alma.] E eu vou apoiá-los. Nós vamos todos apoiá-los, e vai acontecer. Vai acontecer.

Eu abordei tudo isso... e como estamos com relação ao tempo?

LINDA: São só 4:20. Você pode falar por outros 40 minutos antes que alguém comece a gritar.

ADAMUS: Não sei se precisaremos disso tudo. Mas digo tudo isso a vocês porque existe um fenômeno interessante acontecendo no momento. Pode trazer minhas bolas, por favor? [Risadas]

LINDA: [rindo] As duas?

ADAMUS: Só uma por enquanto.

LINDA: Pegar pra você!?

ADAMUS: É. Eu pedi à Linda que...

LINDA: Você me pediu que pegasse suas bolas?!

ADAMUS: Pedi à Linda ontem que corresse até a cidade e conseguisse um material de apoio pra nossa conversa de hoje sem dar a ela nem a Cauldre o benefício da dúvida do que iríamos fazer com minhas bolas. [Risadas; Linda traz uma bola e entrega à Adamus.]

LINDA: É uma bola vermelha.


Nova Energia

ADAMUS: Então, existe um fenômeno interessante acontecendo no momento, que leva nossa conversa a um ponto. Esse elemento da Nova Energia está pronto pra chegar. Bom, na verdade, ele está bem aqui agora.

A Nova Energia está aqui. Está esperando. Ela é real. Não é só um conceito. Foi um conceito por éons de tempo. Foi profetizada de um jeito ou de outro; vocês a chamavam de Segundo Advento. Têm falado sobre ela. Foi... Vocês vieram em outras existências pensando que logo ela estaria aqui, antecipando, preparando, falando da nova era, dos novos tempos. Ela está bem aqui agora, representada pela minha bola. [Adamus joga a bola para a plateia.] Pegue outra [falando com Linda].

Agora, façam a bola circular, por favor. Joguem por aí, sim. Divirtam-se com isso. Esta não é uma sala de aula típica; a gente perde o controle um pouco por aqui.

Eu tenho muitas bolas de Nova Energia. [Risadas quando Linda chega com mais três bolas.]

LINDA: É, você tem!

ADAMUS: Faça ela circular. Familiarize-se com ela. [Muitas risadas quando a plateia atira as bolas pra todo lado.]

Então, queridos Shaumbra, ela está bem aqui agora. Pronta pra chegar. A pergunta é: Vocês estão prontos? Será que vocês estão prontos?

A Nova Energia é muito diferente da Velha Energia. [Adamus volta para a primeira folha, com os triângulos.] A Velha Energia... a Velha Energia... [alguém é atingido por uma bola e grita “ai!”; Adamus ri.] Vejam, a Nova Energia, às vezes, machuca! [Muitas risadas] Parece muito inocente, mas ela machuca quando colide com as crenças da Velha Energia. Pode machucar.

A Velha Energia foi criada a partir do desejo da alma de um dia voltar para si mesma. A Nova Energia é o resultado de voltar para Si. [A plateia ainda está jogando as bolas.] Vamos parar agora, porque quero que vocês entendam esta questão.

A Velha Energia foi o resultado desse intenso desejo de retornar para Si Mesmo [aponta para os triângulos], ser inteiro novamente, ter o que vocês chamariam de um processo de fusão acontecendo dentro de Si. Quando o processo de fusão acontece – ou começa a acontecer, melhor dizendo, começa a acontecer –, vocês não precisam mais do masculino/feminino, da luz/escuridão. Vocês não juntam estes dois [numa folha nova, ele desenha os dois triângulos do mesmo jeito que antes] e fazem surgir algo que pareça isto ou o que for. [agora desenha um quadrado com um X de ponta a ponta, formando quatro triângulos dentro dele.]


Vocês não têm mais um masculino/feminino separado, uma luz/escuridão separada, um humano/espírito separado. Vocês não reúnem novamente o Deus e a Deusa e, depois, caminham com essa dualidade. Eles desaparecem. Evaporam. A ilusão vai totalmente embora. Vocês parem de falar sobre reunir a energia da Deusa – é tão anos 70. [Risadas] Parem de falar sobre trazer luz para o mundo – parece coisa de assistente social. Parem de falar sobre esse negócio de alcançar o eu superior, porque não existe um eu superior. Só o que existe são vocês. Só vocês.

Vocês não precisam ter discussões dualistas, debates filosóficos, religiões – ah, as religiões vão deixar de existir quando vocês perceberem que não há separação. Não existe salvação. Não existe redenção. Só existe percepção.

Então, quando os dois lados se juntam [aponta para os dois triângulos] e não são mais dois, quatro nem dez, quando não há mais a necessidade de luz nem escuridão, masculino/feminino, bom/ruim, isso cria a Nova Energia. Isso cria a Nova Energia.

É diferente, é óbvio, da Velha Energia. A Velha Energia foi o resultado do desejo de retornar para si mesmo. Foi o combustível do foguete que vocês usariam para voltar para si mesmos. Quando esse processo começa a acontecer, mesmo no nível mais minúsculo, ele cria a Nova Energia.

De onde vocês pensavam que vinha a Nova Energia? De Deus? Deus não faz ideia do que seja Nova Energia. É sério! Deus é Velha Energia... e não estou escutando os trovões.

LINDA: Ah, mas tem uma manchete esperando por você. [Risadas]

ADAMUS: Deus precisa ser. Deus por Sua natureza... E vamos parar de nos referir a Deus como ele ou ela... Deus por Sua natureza é Velha Energia. Vocês... como vocês são Velha Energia, Deus é, portanto, Velha Energia.

O Espírito deu a vocês essa soberania. O Espírito criou a própria separação, e o que vocês acham que está acontecendo com o Espírito agora? A fusão. Está se reunindo dentro de vocês. O Espírito vem pra casa em vocês. Vocês não vão pra casa no Espírito. O Espírito não existe mais do jeito que vocês conheciam, do modo como era. [Adamus continua com a bola.]

Uau! Vamos respirar fundo juntos.

[Pausa]

Não acho que aquele grupo que cogitei entenderia tudo isso. [Risadas] Acho que eles correriam de volta pro topo da montanha pra fazer mais meditação. Vocês – vocês querem vivenciar.

Assim, o Espírito é Velha Energia, porque vocês foram concebidos na Velha Energia; daí, o Espírito é Velha Energia. Mas quando vocês conhecem a si mesmos, inteiros e completos, o Espírito deixa de ser Velha Energia também. O Espírito e vocês sempre se lembrarão de onde vocês vieram, sempre se lembrarão da jornada que os trouxe até aqui. Ela nunca é esquecida. Nunca é apagada. Vocês se lembrarão com grande alegria de cada dificuldade, cada momento maravilhoso de cada vida que vocês viveram. E vocês se perguntarão por que não se permitiram lembrar ao longo do caminho, por que criaram a separação. Vocês vão dizer, porque já ouvi isso antes: “Por que eu não me dei apenas uma pitada de lembrança, pois, aí, a jornada inteira teria sido bem mais fácil?” Bom, vocês, de fato, deram a si mesmos essa pitada... talvez só uma pitadinha.

A Nova Energia é criada quando vocês retornam pra si mesmos, não estão mais separados, não estão mais em pedaços. Quando vocês se juntam de novo, isso cria essa coisa chamada Nova Energia. Vocês ainda terão as influências da Velha Energia, porque, por um tempo, ela ainda vai estar numa grande parte da vida de vocês, pois ela está no mundo ao redor de vocês. Ela está nos aspectos que ainda não se integraram. Está em algumas das ilusões e das crenças de separação. Ela ainda está lá. Mas vocês vão ter essa coisa chamada Nova Energia entrando na sua vida. Ela está bem aqui agora.

Eu a represento como uma bola vermelha – Círculo Carmesim. Eu a represento como algo que vocês podem segurar, sentir, tocar por um momento. Ela não é realmente assim [segurando a bola]. Por favor, não comecem a dizer às pessoas que elas precisam ter uma bola vermelha. [Risadas] Só estou usando a bola pra ilustrar uma questão aqui.

A Nova Energia é muito diferente da Velha porque ela não é vibracional. Vibracional era a resistência entre as duas partes, e que criou a realidade – as duas partes, repetindo, masculino/feminino, bom/mau e todo o restante dessa dualidade... vibracional. Isso criou a Velha Energia.

A Nova Energia é expansional – em todas as direções, ao mesmo tempo, através do tempo e do espaço. A Nova Energia não é restrita, não pode se restringir aos elementos de tempo e espaço. Ela pode ser usada no contexto do tempo e do espaço; em outras palavras, no agora. Ela pode ser usada, mas... tentando não me tornar muito esotérico aqui... mas ela não pode ser confinada. Não tentem confinar a Nova Energia que está em vocês, que está na vida de vocês. Vocês vão querer observá-la. É muito, muito diferente. Vai parecer estranha e esquisita.

Vocês se lembram da brilhante conversa de Tobias sobre os quatro elementos, as quatro bolas de gude? [N. T.: Tobias começou a falar das bolas de gude na Série dos Criadores, Lição 5: Espere Mudanças e as Abençoe, canalizada em 9 de dezembro de 2000.] Lembrem que ele falou de uma bola branca (luz), de uma preta (escuridão) e de uma neutra clara, representando a dualidade. A nova bola que surge é uma bola clara cristalina. O que acontece? A branca e a preta, que sempre detestaram uma a outra e sempre brigaram e trocaram de lugar, de repente, se agrupam. Tentam expulsar essa bola cristalina da realidade. São estranhas, estranhas companheiras por um breve período de tempo, mas acabam reunindo suas forças.

Haverá momentos em que será assim pra vocês, porque parte de vocês, bem lá na mente, não vai entender a Nova Energia. Vai parecer algo totalmente diferente e estranho, e haverá momentos em que vocês confundirão a Nova Energia com a hipnose. Vocês dirão: “Bem, estou sentindo algo diferente hoje.” Linda tem dito isso um bocado. “Estou sentindo, o dia não está estranho?” A mente vai dizer: “Será que é a hipnose da qual falou Adamus ou é essa Nova Energia?” Ou ainda: “Será que o Adamus está nos hipnotizando?” [Risadas] Vocês vão dizer isso. Antes do dia acabar, alguém dirá isso ou talvez já tenha dito.

Sabem de uma coisa? É uma pergunta muito, muito fácil de ser respondida por vocês – é uma escolha de vocês. Depende da escolha de vocês. Querem que seja a hipnose? Ou querem que seja a Nova Energia?

A propósito, qualquer influência hipnótica é apenas energia. Só energia. Se alguém enviar... Falei, recentemente, sobre as guerras de Deus que estão acontecendo nos céus não tão refinados, nas esferas próximas da Terra. Essas religiões estão lutando e também estão enviando ou atirando suas energias pra cá pra Terra. Muita hipnose está ocorrendo no momento, mas é só energia. Vocês não são bobos. Vocês não são incapazes. Transmutem essa energia, transmutem essa hipnose em energia para servi-los, para ajudá-los a trazer coisas para sua realidade.

Vocês podem fazer isso com qualquer coisa – hipnose, pessoas que insultam vocês verbalmente ou fisicamente. Vocês podem pegar qualquer energia e transmutá-la, mesmo um tapinha no ombro. [Adamus dá um tapinha de leve no ombro de alguém.] É só energia. David sabe disso. Ele respira isso. Chega de apanhar; é só energia.

A SUA Nova Energia

Voltando ao assunto... Vocês criaram a Nova Energia porque contemplaram a si mesmos e permitiram voltar para si mesmos. Isso, em si, criou a Nova Energia. Ela é de vocês; vocês a criaram. É muito pessoal pra vocês agora. Mas ela se espalhará pelo restante da criação, porque vocês nunca podem possuir o que criam.

Vocês podem usá-la. Podem amá-la. Podem ter uma grande paixão por suas criações, mas nunca possuir suas criações. Mais cedo ou mais tarde, elas querem se expressar por direito. Mais cedo ou mais tarde, a energia tem que fluir. E a coisa mais bonita do criador original, do Espírito, foi dar a vocês a vontade divina – não gosto de dizer livre arbítrio, livre vontade e, sim, vontade divina – “Vão e se descubram.”

Assim, esta Nova Energia entra em sua vida – ponto final. A Nova Energia está vindo para a vida de vocês. Ela parece diferente. Vocês sentem que é diferente. Ela tem um cheiro diferente. Ela é vocês, apesar disso. Vocês. Isso é que importa. Ela não vem de Deus. Ela não vem de mim. Ela não vem do David McMaster. Ela é de vocês. Observem a Nova Energia. Brinquem com ela. Saiam da mente.

É por isso que tenho sido tão enfático nas conversas, ultimamente, com relação ao sentimento, à paixão da alma. Saiam da mente, porque a mente não vai entender a Nova Energia. É por isso que pedi pra vocês pararem de usar palavras, porque elas vêm da mente. E seu relacionamento, seu entendimento da sua Nova Energia não vai vir daqui [da cabeça]. Vai vir daqui [do coração], e será algo simples.

Haverá uma tendência, por causa da programação e da história de vocês, para quererem dissecá-la, analisá-la e descrevê-la. Por favor, não façam isso. Haverá uma tendência para... alguns de vocês vão entrar no quadro de mensagens do site hoje à noite e dizer: “Descobri a Nova Energia e ela é assim.” Não. Vocês não querem tentar descrevê-la. Vocês querem vivenciá-la. Vocês não querem tentar dizer à pessoa ao lado como elas obtêm Nova Energia, porque isso seria como voltar para as dinâmicas da Velha Energia. Vocês não querem ser os primeiros. Não é uma corrida para a Nova Energia. Em outras palavras, vocês não querem essa coisa egoica de “Consegui antes de você.” Primeiro lugar do pedaço.

É uma experiência absolutamente pessoal que está além das palavras. Experiência sagrada. Uma experiência adorável. O que vocês chamariam de experiência sexual, e não estou falando dos seus órgãos reprodutores; estou falando da pura experiência sexual que vem, verdadeiramente, do coração. Quando o masculino e o feminino se apaixonam de novo um pelo outro e se permitem... se permitem não ter que manter uma identidade, uma identidade separada, isso é amor.

Certo, você pode segurar a bola [falando com Linda].

LINDA: Oh, querido.


Usando a Nova Energia

ADAMUS: Então, queridos Shaumbra, um elemento integral da Nova Energia em sua vida... Ela está em volta de vocês bem agora, por falar nisso. Vocês a criaram. Vocês dizem: “Mas como eu a aplico? O que eu faço? Do que eu preciso agora?”

SHAUMBRA: De respirar.

ADAMUS: Bem, de respirar, isso é bom. Respirem.

A Nova Energia, a sua Nova Energia, não tem tempo nem espaço. Agora, muitos de vocês ponderaram e, na verdade, fizeram um bocado de pesquisa científica, bem como psíquica, sobre tempo e espaço – tempo e espaço, uma discussão fascinante –, mas está errado, porque vocês estão observando o tempo/espaço linear.

Vocês dizem: “Querido Tobias...” ou querido Adamus, ou querido qualquer um de nós. Vocês dizem: “Não está tudo acontecendo ao mesmo tempo?” Não. Não, não mesmo. E vocês dizem: “Mas eu não deveria ser capaz de voltar no tempo? Eu não deveria ser capaz de voltar e me encontrar no passado?” Isso é mental e é linear, portanto, não vai funcionar. Vocês podem transcender o tempo e o espaço, mas não da maneira que pensam.

Vocês dizem: “Quero viajar para o futuro e ver o que vai acontecer. Quero ir dez anos à frente. Quero saber como está indo o mercado financeiro.” Ah, admitam que é assim. Vocês querem saber o que vai acontecer. Vocês não conseguem chegar lá a partir daqui, porque vocês estão assumindo a linearidade. Vocês ainda estão tentando ser muito humanos.

A Nova Energia precisa ser sem tempo e sem espaço. Não pode ter as limitações da existência linear. Em outras palavras, não comecem a planejar. Não criem metas. Não façam suposições sobre o que vai acontecer amanhã.

A verdadeira Nova Energia acontece neste momento. Este momento... vou ficar meio esotérico aqui... mas este momento não tem tempo nem espaço. Este momento, qualquer momento da sua vida, não precisa de tempo e de espaço. Isso não significa que vocês, agora, vão vivenciar, ao mesmo tempo, tudo que sua alma vai vivenciar. Isso significa, nas grandes palavras de Tobias, que não importa. Não importa. Neste momento, não importa o que aconteceu ontem ou o que vai acontecer amanhã. Não importa mais.

Grande parte da jornada humana foi criada sem essa necessidade de orientação pela linearidade. Em outras palavras: “O que vai acontecer amanhã?” O que eu fizer hoje vai determinar o amanhã – não há dúvida. Se vocês querem ter uma experiência de si mesmos, vivenciem o seu mais profundo eu, que realmente nunca esteve separado, e reside no momento do Agora.

Vocês estão esperando pelo quê? 2012. Não, Shaumbra. Vocês estão esperando até terminarem aquele projeto, até se mudarem para outra cidade, até um Mestre vir falar com vocês, até perderem peso, até isso ou aquilo, e vocês esperam, esperam, esperam e esperam. Isso vai postergar a Nova Energia, porque a Nova Energia vai esperar também.

O jogo da espera ou... eu também chamo de jogo do destino... “Tenho que esperar pra ver o que vai acontecer comigo. Tenho que esperar até eu estar pronto.” Não mais. Não mais. É agora. Não quero saber o quanto vocês acham que estão malucos, quantas coisas ruins vocês fizeram, quantos maus hábitos, quantas falhas. Vocês sabem quantas falhas cometi antes de me tornar Mestre? Só uma. Só uma. [Muitas risadas]

É verdade, porque, no final das contas, nada é realmente uma falha. Minha falha foi que demorei demais pra encontrar a saída da minha prisão, meu cristal, e a resposta estava lá o tempo inteiro. Mas, como alguns de vocês, eu estava jogando esse jogo. Eu estava jogando o jogo de “como é que eu saio?” em vez de simplesmente sair.

Mas voltando ao assunto... Agora é o momento... bem agora, além do tempo e do espaço, além de qualquer espera, bem agora, agora mesmo é o momento de ter completamente essa conexão com vocês mesmos, de trazer a Nova Energia, de entrar nos sentimentos e sair da mente. Não esperem um outro momento. É bem agora. Está aqui.


Seguindo em Frente

Continuaremos nossa conversa sobre o trabalho com a Nova Energia em nossa próxima sessão, mas ainda vou dizer umas coisas. Em favor de nossas conversas, que podem acabar ficando muito mentais, vou pedir a permissão de vocês para que eu, Adamus, alguns do Conselho Carmesim e alguns Mestres que voltaram pra Terra trabalhemos juntos numa energia de suporte, num fluxo de consciência fundamental para permitir que usemos as palavras mas possamos lidar muito dinamicamente com a consciência e os sentimentos.

Em outras palavras, terão coisas acontecendo que não serão ditas. Energias estarão chegando não só através da voz de Cauldre. Iremos trazer um rio inteiro de consciência para ajudá-los a entender, para ajudar todo mundo a entender quando entrarmos em alguns desses conceitos que podem ser muito mentais, dando um apoio para vocês não irem para a mente e ficarem raciocinando sobre tudo isso. Então, vamos pedir sua permissão para fazer isso ou, pelo menos, para deixá-los conscientes do que está acontecendo.

Eu prometo a vocês que nós nunca usaremos técnicas hipnóticas, e garanto que nunca usamos. É por isso que, às vezes, como dissemos a um grupo recentemente, a mensagem soa diferente. A mensagem, às vezes, os deixa um pouco frustrados, porque vocês estão acostumados a colocar muito “açúcar” nas suas mensagens. Mensagens hipnóticas contêm muitas energias interessantes para seduzir, e é isso que os mantém na frente da televisão horas a fio e vocês ainda se perguntam: “Por que estou sentado aqui?” É isso que os chama de volta para os jogos; é isso que os mantém ligados à família e aos que costumavam ser seus companheiros. Vocês se divorciaram agora e ficam dizendo: “Mas essa pessoa ainda está na minha vida.” Bom, está rolando uma energia hipnótica. Nós não usamos isso e, às vezes, vocês vão querer que a gente use. Mas não há necessidade. E para as mensagens irem direto ao coração e aos sentimentos, nós não queremos usar. Não tem necessidade.

Então, nossa conversa sobre a Nova Energia vai continuar. Peço que continuem com o dever de casa – falar conosco sem usar palavras –, mas agora expandam isso para seus animais de estimação e para aqueles que convivem com vocês. Falar sem palavras, sem manipulação – mas sei que vocês não fariam isso mesmo – porque falar sem palavras vai colocá-los de novo em contato com vocês mesmos, vai fazê-los transcender a ilusão de separação.

Quanto mais fizerem isso, mais recompensador se tornará e mais fácil poderemos nos comunicar em grupos como este, mais fácil poderemos tratar de mensagens que podem parecer muito complexas. Realmente não são, mas, mesmo que pareçam complexas, podemos apresentá-las em nossas conversas.

Assim, é uma alegria e uma honra poder ter essas conversas com vocês, poder alcançar tal nível de profundidade.

Estou satisfeito, particularmente, por não precisarmos mais, na maioria das vezes, fazer muito processamento. Foi bom por um tempo. Vocês precisavam desse processamento. Vocês precisavam saber que eram inteiramente amados. Mas, agora, podemos fazer o trabalho em conjunto. Podemos ter a alegria e a experiência da Nova Energia, e isso é o que a alma deseja.

Nós vamos nos encontrar no mês que vem, mas, nesse ínterim, teremos nossos encontros frequentes na Nova Terra, nas outras esferas.

Por favor, continuem registrando os sonhos. E eu sei, Shaumbra, vocês não gostam nem um pouco da parte do dever de casa, mas o que peço a vocês é tão pouco. [Risadas] Continuem registrando os sonhos, escrevendo os sonhos, porque seus sonhos não são o que vocês pensam que eles são. Não são apenas sonhos. O modo como vocês interpretam seus sonhos ou o modo como eles entram nesta realidade está mudando. Vocês não davam importância a eles porque pensavam que eles eram uma série de símbolos doidos, mas os sonhos são muito reais. O modo como vocês os compreendem está mudando. E, se vocês registram, escrevem os sonhos, vocês descobrem, muito rapidamente, que seus sonhos não são, de fato, diferentes do estado de vigília, e vão começar a entender quando eu disser que vocês estão se tornando seres sem limites de tempo e espaço.

Foi isso que os Mestres perceberam – não há tempo nem espaço. Não importa. Eu Sou o que Sou. Isso é tudo que conta.


Dever de Casa

Da próxima vez que nos encontrarmos, em nossa reunião na véspera do dia dos namorados [N. T.: Valentine’s day. Comemoramos o dia dos namorados em 12 de junho, eles em 14 de fevereiro], espero que todos estejam um pouco mais bem vestidos, por favor. Não é pra ficar com cara de domingo no mercado das pulgas.* [Risadas]

LINDA: Domingo no mercado das pulgas??!

ADAMUS: Então, queridos amigos, por favor, o dever de casa para o próximo encontro é se vestirem com mais elegância e explicarei depois por quê.

Com isso, por favor, saibam que tudo está bem em toda a criação. Portanto, vocês são Deus também e eu Sou Adamus of Sovereign Domain.

E assim é.

[Aplausos]


* Mercado das Pulgas: Comércio, geralmente ao ar livre, com estandes individuais onde se vendem artigos velhos ou usados, objetos antigos e artesanato, a preços módicos; uma espécie de feira.

A Série dos Mestres:
SHOUD 5: “COMO ISSO FUNCIONA?: Parte 2” - Apresentando Adamus, canalizado por Geoffrey Hoppe
Apresentado ao Círculo Carmesim
9 de janeiro, 2010

Um comentário:

Diego Cosmo disse...

http://dcosmo.blogspot.com - Constantes reflexões, Rumo a novos pensamentos! "Andarilho"